sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Ensino superior pode contratar professores e investigadores

Instituições de Ensino Superior públicas vão poder contratar professores e investigadores, mas sem ultrapassar o maior valor anual, desde 2013, gasto com contratações, segundo uma versão da proposta do Orçamento do Estado de 2017 (OE2017).

A versão de OE2017 datada de quinta-feira, a que a agência Lusa teve acesso, apresenta novidades no que toca ao recrutamento de trabalhadores nas instituições de ensino superior, com o objetivo de reforçar a autonomia daquelas instituições e estimular o emprego científico jovem.

Assim, as instituições públicas vão poder proceder a contratações, "independentemente do tipo de vínculo jurídico que venha a estabelecer-se, desde que as mesmas não impliquem um aumento do valor total das remunerações dos trabalhadores docentes e não docentes e investigadores e não investigadores da instituição, em relação ao maior valor anual desde 2013", lê-se na versão de OE2017.

As instituições têm também autorização para contratar a termo professores e investigadores para executar programas, projetos e prestações de serviço, desde que usem receitas da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), "receitas próprias ou receitas de fundos europeus relativos a esses programas, projetos e prestações de serviço", refere o documento a que a Lusa teve acesso.

Em situações excecionais, os ministérios das Finanças e do Ensino Superior poderão ainda autorizar a contratação de professores e pessoal não docente, além dos valores máximos estipulados, "fixando caso a caso o número de contratos a celebrar e o montante máximo a desprender".

Estas contratações só serão autorizadas se estiverem reunidas várias situações, tais como haver "relevante interesse público" e uma "carência de recursos humanos", refere o documento.

As novas regras de contratação, previstas na versão do OE2017, não se aplicam às instituições de ensino superior militar e policial.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.