sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Previsões de crescimento pioram para 1,2% e do défice para 2,4%

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

O Governo piorou as estimativas para o conjunto deste ano, esperando agora um crescimento económico de 1,2% e um défice orçamental de 2,4% do PIB, segundo o relatório de Orçamento do Estado para 2017 (OE2017).

De acordo com a proposta orçamental, entregue hoje na Assembleia da República e a que a agência Lusa teve acesso, o executivo liderado por António Costa está agora mais pessimista do que estava em abril, quando enviou à Comissão Europeia o Programa de Estabilidade.

Na altura, o Governo estimava um crescimento económico de 1,8% e um défice orçamental de 2,2% para o conjunto de 2016, os mesmos valores inscritos no Orçamento do Estado para 2016 (OE2016), conhecido em fevereiro.

No entanto, nas negociações com a Comissão Europeia para a não aplicação das sanções em julho, o Governo admitia um "cenário alternativo", que previa um abrandamento do crescimento económico para 1,4% este ano e, nessa situação, um défice de 2,3% este ano.

Ainda assim, os números conhecidos hoje acabam por ser superiores aos admitidos pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, na altura.

No entanto, o executivo revê em alta a estimativa de dívida pública para o conjunto do ano, de 124,8% do PIB previstos no Programa de Estabilidade, para 129,7% do PIB.

O Governo mantém a previsão de um défice estrutural de 1,7% em 2016, previsto no Programa de Estabilidade, mas revê ligeiramente em baixa, de 11,4% para 11,2%, a taxa de desemprego prevista para este ano, e a taxa de inflação, de 1,2% para 0,8%.

Lusa

  • 10 Minutos com Ana Catarina Mendes
    10:28

    10 Minutos

    A secretária geral adjunta do PS diz que não percebe porque é que o PSD levou tanto tempo a escolher o candidato à Câmara de Lisboa. Em entrevista no 10 Minutos da SIC Noticias, Ana Catarina Mendes considerou ainda que Pedro Passos Coelho não tem estado à altura de um líder da oposição. Quanto às legislativas, entende que o PS deve concorrer sozinho às eleições.

    Entrevista na íntegra

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.