sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Proteção a vítimas de violência doméstica com mais de 15 milhões de euros

Os mecanismos de proteção às vítimas, nomeadamente de violência doméstica, têm em 2017 uma verba superior a 15 milhões de euros, segundo a proposta de Orçamento do Estado apresentada esta sexta-feira.

No documento, o Governo propõe-se melhorar os mecanismos de proteção às vítimas, designadamente de violência doméstica, por via de vigilância eletrónica, teleassistência e através de uma "Estratégia de Combate à Violência Doméstica e de Género".

Pretende-se, diz-se no documento, "a territorialização das respostas e o desenvolvimento de um trabalho em rede que promova as condições mínimas necessárias ao apoio e proteção das vítimas".

A prevenção e proteção à vítima tem verbas afetadas em várias áreas, especialmente nas forças de segurança, que são dotadas de 11,1 milhões de euros para esse fim.

Nas áreas da governação e da justiça estão previstos mais cerca de cinco milhões de euros para os mecanismos de proteção à vítima.

O Governo apresentou hoje a proposta de Orçamento do Estado de 2017, que prevê um crescimento económico de 1,5%, um défice de 1,6% do PIB, uma inflação de 1,5% e uma taxa de desemprego de 10,3%.

Para este ano, o executivo liderado por António Costa piorou as estimativas, esperando agora um crescimento económico de 1,2% e um défice orçamental de 2,4% do PIB.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41