sicnot

Perfil

Óscares 2016

Óscares 2016

Óscares 2016

88.ª edição dos Óscares registou as audiências mais baixas desde 2008

A gala, apresentada pelo comediante Chris Rock e que coroou "O Caso Spotlight" como melhor filme de 2015, teve um índice de audiência global de 10,4% entre o público adulto entre os 18 e os 49 anos.

O comediante Chris Rock apresenta a cerimónia dos Óscares, em Los Angels.

O comediante Chris Rock apresenta a cerimónia dos Óscares, em Los Angels.

© Mario Anzuoni / Reuters

A cerimónia dos Óscares realizada em 2015, que teve Neil Patrick Harris como apresentador, conseguiu um melhor resultado, registando uma audiência de 37,3 milhões de telespetadores com uma quota de audiência de 11%.

Quanto às audiências, a edição de domingo foi a pior desde a cerimónia de 2008, apresentada por John Stewart, que teve apenas 32 milhões de telespetadores.

De acordo com os dados apresentados hoje pelo meio especializado Deadline, a gala de 2014, conduzida por Ellen DeGeneres, mantém-se como a mais vista do século XXI com 43,7 milhões de telespetadores.

A 88ª edição dos Óscares, realizada no domingo, esteve envolta em polémica por não ter havido qualquer ator negro nomeado, pelo segundo ano consecutivo. A ausência de nomeações terá levado a um boicote por parte da comunidade negra, que ter-se-á refletido no resultado das audiências.

"O apagão aos 'Óscares brancos' este ano foi um êxito fantástico" disseram hoje Earl Ofari Hutchinson, presidente da Mesa Redonda sobre Política Urbana de Los Angeles, e Najee Ali, presidente do Projeto Esperança islâmica no meio especializado Deadline.

Como parte integrante dos que organizaram o boicote, Oscar Ofari Hutchinson e Ali reiteraram que, se não houver mudanças para promover a diversidade em Hollywood, o próximo passo será o de organizar um "apagão" dirigido aos anunciantes de televisão.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.