sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Ministro angolano na lista comprometedora que envolve empresa Mossack Fonseca

O ministro dos Petróleos de Angola, José Botelho de Vasconcelos, é um dos políticos que figuram na lista comprometedora de personalidades divulgada no domingo, na sequência de uma fuga de informação envolvendo a empresa de advogados panamiana Mossack Fonseca.

© Leonhard Foeger / Reuters

A par de Botelho de Vasconcelhos, aparece também na lista o empresário português Idalécio de Castro Rodrigues de Oliveira, que está a ser investigado no âmbito da operação Lava Jato, sobre um esquema de corrupção que envolve várias empresas, incluindo a petrolífera estatal brasileira Petrobras.

O ministro angolano e o empresário português surgem na lista associados aos únicos países lusófonos mencionados, neste caso Angola, Portugal e Brasil.

Pelo Brasil, aparece também na lista 'negra', além de Idalécio de Oliveira, o político e empresário João Lyra.

A lista de nomes, que inclui 140 políticos, nomeadamente 12 líderes mundiais, foi divulgada no domingo pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação.

Mais de 214 mil entidades "offshore", em 21 paraísos fiscais, aparecem, em 11,5 milhões de documentos da sociedade de advogados, ligadas a mais de 200 países e territórios, refere a organização na sua página na internet.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40
  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.