sicnot

Perfil

Panama Papers

Os números do envolvimento de portugueses no Panama Papers

Os números do envolvimento de portugueses no Panama Papers

Há 244 empresas com sede em Portugal nos documentos revelados pela investigação "Panama Papers" e 23 clientes da Mossack Fonseca têm residência no país. A informação é divulgada pelo Irish Times, associado do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação. O jornalista do Expresso Micael Pereira esclarece que há portugueses mas os dados estão a ser trabalhados.

O Irish Times refere que além das 244 empresas com sede em territorio nacional, há 23 clientes da Mossack Fonseca que residem em Portugal.

Em Portugal, há também 34 beneficiários de offshores e 255 acionistas ligados de alguma forma ao país.

O jornal criou um mapa interativo com informação sobre vários países onde consta Portugal:

O jornalista do Expresso que teve acesso à base de dados, Micael Pereira, diz que a informação ainda está a ser confirmada mas que é certo que há vários porutugeses envolvidos.

Para já, apenas um nome de um português foi tornado público, trata-se de Idalécio Oliveira, um empresário da zona de Vouzela, que está também a ser investigado no Brasil no âmbito do processo Lava Jato.

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.