sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Polícia suíça realiza buscas na sede da UEFA

A polícia federal suíça realizou hoje buscas na sede da UEFA, em Nyon. Em causa estão os contratos de atribuição de direitos televisivos à empresa equatoriana Cross Tradding, referidos no escândalo "Panama Papers".

© Denis Balibouse / Reuters

Em comunicado enviado à agência noticiosa, a UEFA refere ter recebido hoje a visita da polícia federal suíça que "agindo com um mandado de busca pediu para ver os contratos firmados com a Cross Trading/Teleamazonas".

A UEFA assegura que forneceu todos os documentos que tinha na sua posse e manifestado total disponibilidade para colaborar com as autoridades.

Na terça-feira, o atual presidente da FIFA, Gianni Infantino, foi no envolvido nos chamados "Panama Papers", uma lista que contem nomes individuais e de empresas que administram o seu património em empresas offshore.

Segundo as informações divulgadas, enquanto dirigente da UEFA, Infantino terá intermediado um negócio de cedência de direitos televisivos com uma sociedade offshore, por um montante bastante abaixo dos valores de mercado.

Os contratos terão sido assinados com a empresa Cross Trading, dos empresários argentinos Hugo e Mariano Jinkins, que alegadamente compraram os direitos televisivos por 111 mil dólares (cerca de 97,5 mil euros) e os revenderam por mais de 311 mil dólares (273 mil euros).

Os dois empresários são acusados pela justiça norte-americana de subornos no quadro do escândalo de corrupção que abalou a FIFA.

Também na terça-feira, a UEFA reagiu, entretanto, alegando que, à época, "não eram conhecidos os verdadeiros proprietários da empresa".

Os "Panama Papers" são o resultado de uma grande investigação jornalística, divulgada na noite de domingo, envolvendo o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação.

Na investigação, são destacados os nomes de 140 políticos de todo o mundo, entre eles 12 antigos e atuais líderes mundiais.

Com Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.