sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Governo quer nomes de portugueses envolvidos no caso Panama Papers

O Ministério das Finanças quer saber quem são os contribuintes portugueses que estão envolvidos no caso de ocultação de bens e rendimentos em offshores investigado por um consórcio de jornalistas, no processo apelidado de "Panama Papers".

Fonte do Ministério das Finanças disse hoje à Lusa que "a Autoridade Tributária e Aduaneira já solicitou ao consórcio de jornalistas a lista dos nomes portugueses no caso Panama Papers".

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, já tinha assegurado no parlamento que o Governo procurará que sejam levadas até às últimas consequências as omissões de deveres fiscais em Portugal que venham a ser divulgadas pela investigação jornalística conhecida como "Panama Papers".

"Não só tentaremos obter toda a informação relevante, como serão utilizados todos os mecanismos legais no sentido de serem tributados aqueles rendimentos e aqueles patrimónios que devam imposto em Portugal e cuja ocultação agora se detete e que sejam levados às últimas consequências todas as omissões de deveres fiscais, nomeadamente deveres declarativos que sejam revelados através deste processo", afirmou.

Fernando Rocha Andrade intervinha no debate de atualidade suscitado pelo Bloco de Esquerda para discutir as consequências dos paraísos fiscais, a propósito da investigação jornalística que divulgou a existência de bens em offshores de 140 responsáveis políticos ou personalidades públicas.

Segundo o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, que reuniu para este trabalho 370 jornalistas de mais de 70 países, mais de 214.000 entidades offshore estão envolvidas em operações financeiras em mais de 200 países e territórios em todo o mundo.

O semanário Expresso e o canal de televisão TVI são os órgãos de comunicação social portugueses que participam nesta investigação.

Com Lusa

  • Altice envolvida no escândalo Panama Papers
    1:50

    Panama Papers

    A Altice é citada na investigação aos documentos do Panamá, além de outros cerca de 30 portugueses e mais de 200 empresas nacionais. A dona da PT Portugal desmente qualquer situação de evasão fiscal. O Expresso divulga sábado mais informações sobre os nomes encontrados.

  • Os números do envolvimento de portugueses no Panama Papers
    2:53

    Panama Papers

    Há 244 empresas com sede em Portugal nos documentos revelados pela investigação "Panama Papers" e 23 clientes da Mossack Fonseca têm residência no país. A informação é divulgada pelo Irish Times, associado do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação. O jornalista do Expresso Micael Pereira esclarece que há portugueses mas os dados estão a ser trabalhados.

  • Marcelo condecora hoje Francisco Sá Carneiro a título póstumo
    0:55

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa vai condecorar hoje Francisco Sá Carneiro, a título póstumo. A cerimónia será incluída nas celebrações do 25 de Abril. Também a título póstumo, o Presidente da República vai ainda homenagear o antigo bispo do Porto D. António Ferreira Gomes. As condecorações têm lugar esta tarde no Palácio de Belém para onde já estava marcada a condecoração do arquiteto Siza Vieira. Todos, diz Marcelo, são figuras ligadas à liberdade e democracia.

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.