sicnot

Perfil

Panama Papers

David Cameron faz mea culpa e promete revelar todos os registos fiscais

David Cameron faz mea culpa e promete revelar todos os registos fiscais

David Cameron disse esta manhã que vai revelar publicamente todos os seus registos fiscais para esclarecer a polémica em que se viu envolvido da investigação Panamá Papers. Num discurso no fórum do partido conservador britânico do qual é líder, o primeiro ministro reconhece que conduziu mal o processo dos registos fiscais da família nomeadamente no que diz respeito ao pagamento de impostos.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, alvo de inúmeros pedidos de demissão, admitiu hoje que deveria ter gerido melhor o caso dos "Papéis do Panamá", ao evocar a sociedade "offshore" liderada pelo seu próprio pai.

Em Londres, apesar dos encorajamentos de Edward Snowden no Twitter, os que defendem a demissão de Cameron estão, porém, a ter dificuldades em mobilizar mais pessoas nesse sentido, havendo mesmo poucas vozes na oposição trabalhista que os apoiam.

Defronte do "número 10 de Downing Street, sede do governo britânico, várias centenas de manifestantes exigiram hoje de manhã a demissão do primeiro-ministro britânico, alguns empunhando cartazes com frases como "Cameron deve partir" e outros trajando panamás (chapéus).

Pouco depois, dirigiram-se para uma unidade hoteleira de Londres a pouco mais de dois quilómetros da sede do Governo britânico, onde Cameron discursava perante os delegados do Partido Conservador, reunido em congresso para preparar as eleições locais de maio próximo.

"Tem sido uma semana em grande", começou por dizer Cameron, passando de imediato para uma referência à revelação de que o pai, Ian Camerpon, que faleceu em 2010, dirigiu um fundo de investimentos nas Bahamas do qual, como admitiu tardiamente, tirou benefícios.

"Nada de ilegal", insistiu David Cameron.

"Sei que deveria ter gerido melhor o caso e não culpem os meus conselheiros. O erro é meu e aprendi a lição", acrescentou, renovando a promessa de publicar, "em breve", as declarações de impostos dos últimos anos, o que, a acontecer, será inédito com um primeiro-ministro do Reino Unido.

O líder da oposição trabalhista, Jeremy Corbyn, que afirmou sexta-feira à noite que o primeiro-ministro "perdeu a confiança dos britânicos", comentou já que as declarações de Cameron, considerando que a 'mea culpa' vem "tarde demais".

Neste quadro, na reunião dos conservadores de hoje, Cameron, que se bate por convencer os britânicos a votar pela manutenção do Reino Unido na União Europeia (UE), apenas fez uma ligeira alusão ao referendo de 23 de junho.

Sexta-feira, uma sondagem oficial demonstrou que a popularidade de Cameron caiu para o valor mais baixo desde julho de 2013, com 58% de opiniões desfavoráveis.

Como pano de fundo da contestação da oposição, está também a demissão do primeiro-ministro islandês, Sigmund Gunnlaugsson, anunciada há três dias, que os britânicos querem ver replicada no Reino Unido.

Com Lusa

  • "O grupo Espírito Santo estava assente numa rede de centenas de sociedades offshore"
    5:52

    Panama Papers

    A base de dados utilizada na investigação Panama Papers revela "claramente" que "o grupo Espírito Santo estava assente numa rede de centenas de sociedades offshore", de acordo com o diretor do jornal Expresso. Na noite em que são divulgados os primeiros nomes dos portugueses envolvidos no escândalo, Pedro Santos Guerreiro explicou a complexidade da base de dados que tem cerca de 11 milhões de documentos. Adiantou ainda que contactou todos os envolvidos antes de divulgar os nomes. Manuel Vilarinho, ex-presidente do Benfica, confessou já estar à espera da chamada.

  • Os portugueses na lista do Panama Papers
    1:25

    Panama Papers

    São os primeiros nomes de uma lista de 240 portugueses que surgem na investigação Panama Papers. O Expresso revela hoje que Luís Portela, Ilidio Pinho e Manuel Vilarinho estão na lista com ligações a offshore revelada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas que está a investigar o caso. O antigo presidente do Benfica diz que já esperava que o seu nome aparecesse, mas recusa qualquer ilegalidade.

  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço dos professores
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50