sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

ES Enterprise, do Grupo Espírito Santo, terá pago 180 mil euros a Manuel Pinho

Uma das empresas que consta nos "Panama Papers" terá pago cerca de 180 mil euros ao antigo ministro da Economia Manuel Pinho. De acordo com o jornal Público, a quantia foi paga pela ES Enterprise, uma sociedade do Grupo Espírito Santo.

Arquivo SIC

A alegada remuneração poderá estar ligada à atividade de Manuel Pinho no GES, onde trabalhou durante duas décadas.

A ES Enterprise está a ser investigada pelo Ministério Público desde 2014. Em causa, estão suspeitas de um alegado saco azul.

A empresa seria usada para pagamentos do GES não documentados, por onde terão passado também fundos vindos de Angola.

  • Grupo Espírito Santo passou 300 milhões pelas contas do Panamá
    2:11

    Panama Papers

    O escândalo Panama Papers revela que o Grupo Espírito Santo usou uma teia de centenas de empresas offshore para pagar comissões e outras despesas não documentadas. A investigação confirma assim que o GES tinha um saco azul. Ao longo de vinte anos, Ricardo Salgado e os gestores de topo do Espírito Santos fizeram passar 300 milhões de euros pelas contas do Panamá.

  • Os portugueses na lista do Panama Papers
    1:25

    Panama Papers

    São os primeiros nomes de uma lista de 240 portugueses que surgem na investigação Panama Papers. O Expresso revela hoje que Luís Portela, Ilidio Pinho e Manuel Vilarinho estão na lista com ligações a offshore revelada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas que está a investigar o caso. O antigo presidente do Benfica diz que já esperava que o seu nome aparecesse, mas recusa qualquer ilegalidade.

  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08
  • Reveladas escutas telefónicas entre Sócrates e Ricardo Salgado
    2:39

    Operação Marquês

    Após ser detido em 2014, Ricardo Salgado recebeu uma chamada de José Sócrates a dar o seu apoio. Nas escutas é possível perceber que o antigo primeiro-ministro fala de admiração pelo ex-banqueiro, depois de Sócrates ter garantido, na semana passada na RTP, que a relação com Ricardo Salgado era apenas institucional. Noutra conversa de Sócrates, desta vez com o advogado Daniel Proença de Carvalho, o ex-primeiro-ministro criticou Marcelo Rebelo de Sousa, quando este ainda era comentador e tinha comentado a queda do BES.