sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Inspecionado servidor da Mossack Fonseca por suspeita de pirataria

As autoridades do Panamá regressaram à sede da Mossack Fonseca, desta vez para inspecionar o servidor da empresa. É a resposta do Ministério Público às acusações agora feitas por parte da própria Mossack Fonseca, que está no centro da polémica dos "Panama Papers" e que denunciou que a sua base de dados foi alvo de pirataria.

© Carlos Jasso / Reuters

A inspeção do departamento de Propriedade Intelectual e Segurança Informática foi ao servidor que contém a base de dados, disse aos jornalistas o advogado Elías Solano, da Mossack Fonseca.

A empresa apresentou uma queixa no Ministério Público por delito contra a segurança informática no dia 10 de março, explicou Solano, indicando que se tratou de uma diligência das autoridades no quadro da "denúncia de subtração ilegal dos seus documentos da sua base de dados".

O advogado afirmou que, nesta fase da investigação, a firma não descarta "absolutamente nada", declinando, porém, alongar-se em comentários sobre eventuais resultados, porque tal seria "especular" e, portanto, uma atitude "irresponsável".

"Nós preferimos que o Ministério Público faça o seu trabalho e a firma decidiu deixar todo este assunto nas [suas] mãos e colaborar", sublinhou.

A procuradora do Panamá, Kenia Porcell, anunciou na semana passada a abertura de uma investigação devido ao escândalo global desencadeado com a divulgaçãode documentos da Mossack Fonseca e das suas operações na criação de empresas offshore para que supostamente grandes fortunas pudessem escapar ao fisco dos seus países de origem.

Esta investigação procura determinar se foi cometido em território panamiano algum ato punível no âmbito dos "Panama Papers".

A maior investigação jornalística da história, divulgada há uma semana, envolve o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, na sigla inglesa), com sede em Washington, e destaca os nomes de 140 políticos de todo o mundo, entre eles 12 antigos e atuais líderes mundiais.

A investigação resulta de uma fuga de informação e juntou cerca de 11,5 milhões de documentos ligados a quase quatro décadas de atividade da empresa panamiana Mossack Fonseca, especializada na gestão de capitais e de património, com informações sobre mais de 214 mil empresas offshore em mais de 200 países e territórios.

Com Lusa

  • Hoje joga Portugal (mas antes há um Uruguai-Rússia em direto na SIC)

    Mundial 2018 / O Mundial

    Começa a última jornada da fase de grupos do Mundial, com quatro jogos por dia. Às 15:00, numa partida transmitida em direto na SIC, a anfitriã Rússia e o Uruguai resolvem qual poderá ser o adversário de Portugal nos oitavos de final. Isto, dependendo claro da prestação da seleção nacional frente ao Irão, ao fim da tarde, uma vez que a qualificação não está garantida (e pode até depender do resultado do Espanha-Marrocos).

  • Gato reencontra dono 10 anos depois de ter desaparecido

    Mundo

    A Blue Cross recolheu no mês passado um gato que tinha sido dado como desaparecido em 2008, num altura em que o dono Mark Salisbury residia em Ipswich, Suffolk, no Reino Unido. Graças ao microchip de Harry, a associação britânica que se dedica à proteção animal, conseguiu localizar Salisbury, que agora vive em Gloucestershire.

  • "É a primeira vez que vai ser testado o programa do Nuno Crato"
    0:57

    País

    Os alunos do 11º e 12º anos de escolaridade fazem hoje o exame de matemática, uma das provas mais importantes no acesso à universidade e para a conclusão do ensino obrigatório. No final do secundário, são quase 50 mil os alunos que hoje fazem a prova que acarreta algumas alterações instituídas ainda pelo ex-ministro Nuno Crato, como explicou à SIC Notícias o diretor do Liceu Camões, em Lisboa.

  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes