sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Ministro espanhol suspeito de ocultar empresa offshore demite-se

O ministro da Indústria, José Manuel Soria, apresentou hoje a demissão. O governante terá comprometido o chefe de Governo Mariana Rajoy, que saiu em sua defesa quando na passada segunda-feira o seu nome surgiu associado ao escândalo Panama Papers. Apesar da confiança manifestada por Rajoy e por outros companheiros do PP, a informação de que Soria faria parte de uma sociedade criada no paraíso fiscal nas Ilhas Jersey acabou por deixar os dirigentes do partido sem capacidade de reação e numa posição muito incómoda.

© Javier Barbancho / Reuters

José Manuel Soria deu explicações contraditórias nos últimos dias, primeiro desmentindo a informação e depois afirmando que não se lembrava de ter assinado os documentos que a imprensa sucessivamente ia divulgando.

Na quinta-feira surgiu um último documento que mostrava que José Manuel Soria foi responsável por uma outra offshore nas Ilhas Jersey, algo que este também tinha negado inicialmente. Também na quinta-feira soube-se que o ministro não estaria na reunião de Conselho de Ministros de hoje, mas sem que a Moncloa tivesse adiantado a razão para a sua ausência.

Num comunicado divulgado hoje, Soria explica que a sua renúncia à atividade política acontece "à luz da sucessão de erros cometidos ao longo dos últimos dias na explicação das [suas] atividades empresariais anteriores à [sua] entrada na política em 1995".

Soria considera que esses erros se deveram à "falta de informação precisa sobre factos que ocorreram há mais de 20 anos" e "sem prejuízo de que tais atividades empresariais tenham tido vínculo algum com o exercício das responsabilidades políticas".

Para o ex-ministro, a presença no Governo e no PP estaria a causar "um dano evidente" ao executivo, ao seu partido, aos seus camaradas de militância e aos votantes "populares".

Com Lusa

  • NATO retoma diálogo com a Rússia

    Mundo

    O Conselho da NATO - Rússia foi instituído em 2002 e decorreu sem interrupções até à anexação da Crimeia, em 2014. O conflito separatista na Ucrânia dividiu a Aliança Atlântica e Moscovo e suspendeu toda a colaboração prática - desde civil a militar. Agora e na véspera da primeira reunião ministerial em Bruxelas com o estreante secretário de Estado americano Rex Tillerson, os países da NATO tentam a aproximação formal e reativação do diálogo político com Moscovo.

  • O poder da linguagem corporal nos tribunais
    9:12

    País

    Rui Mergulhão Mendes, especialista em 'profiling' na Emotional Business Academy, em Lisboa, esteve na Edição da Noite desta quarta-feira para explicar como é que um especialista em linguagem pode ajudar um tribunal a dar um veredito.