sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Presidente do Panamá nega que país seja um paraíso fiscal

​O Panamá tem sido "erradamente" rotulado como paraíso fiscal, afirmou o Presidente do país, Juan Carlos Varela, numa entrevista à agência de notícias Jiji, do Japão.

Juan Carlos Varela, Presidente do Panamá.

Juan Carlos Varela, Presidente do Panamá.

© Carlo Allegri / Reuters

"Fomos rotulados de paraíso fiscal erradamente. O Panamá é um país que respeita a lei", disse Varela.

O Presidente do Panamá reiterou que o seu país vai estabelecer uma comissão de alto nível para melhorar a transparência do sistema financeiro, na sequência da divulgação dos "Papéis do Panamá".

Varela, que chegou no domingo ao Japão, apelou a um esforço global para lidar com o escândalo, insistindo que não se trata apenas de um problema do seu país mas do sistema financeiro internacional como um todo.

Num seminário de investimento em Tóquio, Varela disse que o Panamá está disposto a cooperar com a iniciativa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico de partilhar informação fiscal.

"Temos a porta aberta para o fazer de forma multilateral", disse.

O Presidente panamiano revelou que irá anunciar hoje um acordo bilateral com o Japão relacionado com impostos, sob os padrões da OCDE, após ter-se reunido com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

Os "Papeis do Panamá" são uma investigação jornalística que envolve o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, na sigla inglesa), com sede em Washington, e resulta de uma fuga de informação e juntou cerca de 11,5 milhões de documentos ligados a quase quatro décadas de atividade da empresa panamiana Mossack Fonseca, especializada na gestão de capitais e de património, com informações sobre mais de 214 mil empresas 'offshore' em mais de 200 países e territórios.

A partir dos "Papéis do Panamá", a investigação refere que milhares de empresas foram criadas em 'offshores' e paraísos fiscais para centenas de pessoas administrarem o seu património, entre eles o rei da Arábia Saudita, elementos próximos do Presidente russo Vladimir Putin, o presidente da UEFA, Michel Platini, e a irmã do rei Juan Carlos e tia do rei Felipe VI de Espanha, Pilar de Borbón.

Lusa

  • Offshore do Espírito Santo no Panama Papers com ligações ao caso Sócrates
    1:59

    Panama Papers

    A investigação "Panana Papers" mostra o envolvimento de uma offshore do Grupo Espírito Santo com a Operação Marquês. Helder Bataglia, o empresário luso-angolano arguido no processo, admite ao Expresso que o dinheiro que transferiu para pagar comissões teve origem numa offshore do grupo então liderado por Ricardo Salgado. O Ministério Público acredita que pelo menos 12 milhões de euros pertencerão a José Sócrates. A defesa do ex-primeiro-ministro nega.

  • Ministro espanhol suspeito de ocultar empresa offshore demite-se

    Panama Papers

    O ministro da Indústria, José Manuel Soria, apresentou hoje a demissão. O governante terá comprometido o chefe de Governo Mariana Rajoy, que saiu em sua defesa quando na passada segunda-feira o seu nome surgiu associado ao escândalo Panama Papers. Apesar da confiança manifestada por Rajoy e por outros companheiros do PP, a informação de que Soria faria parte de uma sociedade criada no paraíso fiscal nas Ilhas Jersey acabou por deixar os dirigentes do partido sem capacidade de reação e numa posição muito incómoda.

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.