sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers estão no centro de confronto entre potências

O escândalo dos "Papéis do Panamá" está no centro de um confronto entre as grandes potências que utilizam o sistema financeiro panamiano, disse hoje o presidente daquele país, Juan Carlos Varela.

"Trata-se do sistema financeiro global, não do Panamá", disse o chefe de Estado, durante um evento público.

Para Juan Carlos Varela, o incorreto é que as "grandes potências querem competir e usam o Panamá como campo de batalha".

"Se querem lutar, que o façam no seu próprio país, mas que não usem o nosso sistema financeiro", acrescentou.

Juan Carlos Varela falava no dia em que os documentos "Papéis do Panamá" foram divulgados na página na Internet do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação.

O consórcio divulgou hoje a base de dados dos "Papéis do Panamá", onde os usuários podem procurar os nomes de cerca de 214 mil empresas, fundações e fundos, incluídos na investigação.

Ao todo, são mais de 11,5 milhões de documentos do escritório Mossack Fonsca, especializado na gestão de capital em paraísos fiscais e que afeta mais de 140 políticos e altos funcionários do mundo, incluindo chefes ou ex-chefes de Estado e de Governo e os seus familiares.

Em meados de abril, as grandes potências industrializadas (G20) pediram "medidas coercivas" contra os paraísos fiscais, que se recusem a cooperar com a comunidade internacional.

A publicação dos documentos ocorreu numa altura particularmente sensível para o Panamá, por causa da prisão esta semana na Colômbia do empresártio Nidal Waked, membro de uma das famílias mais ricas do país, que os Estados Unidos acusam de branquear dinheiro da droga.

Na segunda-feira, o presidente do Panamá reafirmou o compromisso do seu país para reformar o sistema financeiro e trocar informações fiscais, mas bilateralmente e não multilateralmente como exigido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

Lusa

  • Explosão próximo do aeroporto de Damasco

    Mundo

    A televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio, noticiou hoje que a explosão ocorrida esta madrugada perto do aeroporto de Damasco "foi provavelmente" resultado de um ataque israelita contra depósitos de combustível.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Macron e Le Pen em troca de acusações
    2:16

    Eleições França 2017

    A campanha eleitoral para a segunda volta em França ficou esta quarta-feira marcada por uma troca de acusações entre os dois candidatos. De visita a uma fábrica em risco de encerramento, Le Pen prometeu que se for eleita salvará os 300 postos de trabalho. Emmanuel Macron acusou a candidata da extrema-direita de aproveitamento político.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • "Esta moda bizarra de não vacinar crianças tem tido estas consequências"
    1:43

    Surto de sarampo

    Há mais um caso de sarampo registado pela Direção-Geral da Saúde, no total já são 25. Francisco George garantiu que a situação não é preocupante para as crianças em idade escolar e recomendou uma discussão parlamentar sobre a vacinação. Mais de 11 mil pessoas já assinaram uma petição pública a defender a vacinação obrigatória. 

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.