sicnot

Perfil

Panama Papers

Zeinal Bava garante que nunca teve intenção de ocultar dinheiro

Zeinal Bava garante que nunca teve intenção de ocultar dinheiro

Zeinal Bava garantiu ao jornal Expresso que nunca teve a intenção de ocultar dinheiro . O antigo presidente da PT reagiu à notícia que avança que a Espírito Santo Enterprises, conhecido como saco azul do GES, transferiu mais de 18 milhões de euros para uma conta no estrangeiro em nome de Bava.

  • Revelada transferência através do saco azul do GES para uma conta de Zeinal Bava

    Panama Papers

    Na investigação jornalística dos Panama Papers há uma transferência através do chamado saco azul do GES para uma conta de Zeinal Bava. O jornal Expresso revela, este sábado, que pela Espírito Santo Entreprises passaram 18 milhões e meio de euros para uma conta que o ex-presidente executivo da PT tinha no estrangeiro. Bava confirmou ao Expresso a operação bancária, efetuada em 2012, mas disse que o dinheiro se destinava a comprar ações da PT.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.