sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Grupo de peritos internacionais terminou investigação aos Panama Papers

O comité de peritos criado na sequência do escândalo "Panama Papers" para avaliar as práticas financeiras no país e sugerir medidas de combate à evasão fiscal terminou o seu trabalho, anunciou o Governo panamiano. "Estamos impacientes para conhecer as recomendações do comité", disse na quinta-feira a vice-presidente do Panamá, Isabel de Saint Malo, que espera receber formalmente um relatório nos próximos dias.

Os "Panama Papers", mais de 11 milhões de documentos da sociedade de advogados Mossack Fonseca foram divulgados em abril pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação e revelam a utilização de paraísos fiscais que escondem os rendimentos de pessoas e empresas de todo mundo.

O Nobel da Economia Joseph Stiglitz fez parte do comité de peritos criado após o escândalo dos "Panama Papers", mas demitiu-se porque o Governo panamiano recusou comprometer-se a divulgar o resultado da investigação.

O especialista em direito penal suíço Mark Pieth renunciou igualmente ao cargo.

O comité foi criado a 30 de abril pelo Governo de Juan Carlos Varela para avaliar as práticas dos serviços financeiros do Panamá, depois da revelação dos "Panama Papers".

Os estatutos do comité explicitam que o governo do Panamá tem autoridade exclusiva sobre o conteúdo dos trabalhos e que os membros do comité se comprometem a não divulgar os resultados.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.