sicnot

Perfil

Papa Francisco em Fátima

Quatro parques com mais de 900 viaturas já lotados em Fátima

Quatro parques de estacionamento a norte do Santuário de Fátima, com capacidade total para cerca de 960 viaturas, já estão lotados, a menos de uma semana da peregrinação do papa Francisco, informou fonte da GNR.

"Os parques 3, 4, 5 e 6, a norte do santuário, estão lotados", adiantou a mesma fonte, explicando que nestes espaços cabem cerca de 960 viaturas ligeiras.

A GNR esclareceu que os parques 11 a 14 estão fechados ao público, mas vão reabrir na manhã de quinta-feira, exclusivamente para autocarros.

"No parque 12 está contemplado espaço para peregrinos com mobilidade condicionada", acrescenta.A GNR aconselha ainda os peregrinos que se deslocam em viatura própria para Fátima para estacionarem na primeira bolsa que encontrarem.

O presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca, anunciou em abril a criação de cerca de 20 bolsas de estacionamento fora de Fátima, com capacidade para 18 mil viaturas ligeiras.

"O objetivo das bolsas é diluir a gestão do tráfego rodoviário", afirmou então Paulo Fonseca, numa conferência conjunta sobre a visita do papa Francisco, em Fátima, no distrito de Santarém, referindo que existirá uma rede de 75 'transfers' a circular em permanência para levar os visitantes dessas bolsas à Cova da Iria e depois no retorno até às suas viaturas.

Paulo Fonseca referiu, nessa ocasião, que as bolsas estão por exemplo na Loureira, já concelho de Leiria, ou na zona do mercado de Ourém, mas também na pista do aeródromo da Giesteira, freguesia de Fátima, entre outros locais.

O autarca acrescentou que os 'transfers' serão gratuitos e terão dois locais de chegada e partida na cidade de Fátima, junto à rotunda de Santo António e na rotunda de Santo Agostinho, junto à rodoviária, na avenida D. José Alves Correia da Silva.

Então, o presidente da autarquia estimou em cerca de "um milhão" as pessoas que estarão "ao mesmo tempo na Cova da Iria" na peregrinação de maio, sendo que ao longo do ano a autarquia prevê que oito milhões de visitantes passarão pela cidade-santuário.

Segundo informação da autarquia, "quando o visitante deixar o seu veículo numa das bolsas de estacionamento, irá receber um ticket/bilhete com uma cor e número de parque que servirá para identificação/localização".

"Quando o visitante pretender regressar ao seu veículo, deve dirigir-se ao ponto onde foi largado para regressar", sendo que o regresso é no autocarro que esteja a fazer o 'transfer' de acordo com a cor do seu ticket.

Francisco visita Fátima na sexta-feira e no sábado e canoniza os pastorinhos Francisco e Jacinta, no centenário dos acontecimentos, que decorreram em 1917.

O papa tem encontros previstos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e com o primeiro-ministro, António Costa, no sábado.

Os anteriores papas que estiveram em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

Lusa

  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.