sicnot

Perfil

Papa Francisco em Fátima

Ministra admite "constrangimentos" no alojamento de militares da GNR

FILIPA BERNARDO / LUSA

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, admitiu hoje que existem "constrangimentos" no alojamento do grande número de militares envolvidos na operação de segurança em Fátima, mas considerou tratar-se de "um período excecional".

"Isto é um período excecional, em que as pessoas dão o melhor de si. Existem constrangimentos que podem existir nestas alturas, mas isto é algo que é secundário, tendo em consideração esta enorme missão", disse aos jornalistas a ministra, no final de uma visita ao posto territorial da GNR de Fátima.

Constança Urbano de Sousa reagia ao comunicado da Associação dos Profissionais da Guarda (APG), que critica as "condições desumanas" de alojamento dos militares da GNR de serviço em Fátima.

"Alguns profissionais irão pernoitar num pavilhão da Escola Prática de Polícia, em Torres Novas, sem acesso a instalações sanitárias que lhes permitam realizar a sua higiene pessoal diária e, ainda, sem alimentação garantida, na medida em que ficam sujeitos à existência de 'sobras' das refeições dos instruendos", refere o comunicado da associação.

A APG lamenta que "colchões no chão, sem lençóis ou cobertores", sejam "a dignidade que a instituição confere àqueles que a servem".

Constança Urbano de Sousa considerou que esta situação "não prejudica em nada o grande empenho e profissionalismo de todos os militares da GNR" que participam na operação.

"Isto é uma circunstância excecional, não há capacidade hoteleira, nem em Fátima, nem nos arredores. Existe a necessidade de alojar um grupo muito elevado de militares que estão aqui em operações. Naturalmente, o ideal seria alojá-los em hotéis de cinco estrelas, não existem na região, não é possível. Portanto, estão numa situação meramente provisória, extraordinária para uma missão única", adiantou a ministra.

Segundo a Guarda Nacional Republicana, estão envolvidos na operação de segurança em Fátima cerca de 3.000 militares diariamente.

O Papa vai estar hoje e sábado em Fátima para celebrar o centenário das "aparições" de 13 de maio de 1917 e para canonizar os beatos Francisco e Jacinta Marto.

Francisco, que partiu de Roma às 13:12, é recebido na Base Aérea de Monte Real cerca das 16:20, pelo Presidente da República, primeiro-ministro e presidente da Assembleia da República, além do Núncio Apostólico, do presidente da Conferência Episcopal Portuguesa e do bispo de Leiria-Fátima.

Jorge Mario Bergoglio é o quarto Papa a visitar Fátima. Os anteriores papas que estiveram no maior templo mariano do país foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

Lusa

  • Saída dos EUA do acordo de Paris é "uma vergonha"

    Mundo

    O ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry considerou esta terça-feira "uma vergonha" a decisão do Presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo do clima de Paris, garantindo que o povo não acompanha esse gesto de "autodestruição".

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43