sicnot

Perfil

Papa Francisco em Fátima

Família de refugiados do Iraque na Casa Carmo para conhecer Francisco

Uma família de oito refugiados iraquianos de origem palestiniana que vivem na Batalha vão conhecer hoje o papa Francisco na Casa de Nossa Senhora do Carmo, onde o líder da Igreja Católica pernoitou, disse à Lusa fonte do Governo.

A família de refugiados formada por oito pessoas oriundas do Iraque entrou na casa onde o líder da Igreja Católica pernoitou juntamente com membros do Governo, nomeadamente o ministro-adjunto, Eduardo Cabrita.

O papa já conheceu a família em 2016 num campo de refugiados perto de Roma, durante a semana santa pascal.Sensibilizado pela história da família, que inclui fugas da Palestina para o Iraque (em 1954) e da Síria para a Europa que incluiu num percurso marítimo até à ilha italiana de Lampedusa, o papa manteve o contacto com refugiados que vivem hoje na Batalha, perto de Fátima.

Apesar de muçulmanos, a família tem uma grande devoção a Nossa Senhora por ser mãe de Jesus Cristo, considerado um dos profetas do islão, precursor de Maomé. Depois de conseguir o estatuto de refugiados o estatuto de refugiados em Itália, foram selecionados num programa de realojamento da União Europeia e estão hoje a viver na Batalha, a três quilómetros.

O primeiro-ministro, António Costa, chegou pelas 09:00 ao local, acompanhado pela mulher, juntando-se a outros membros do Governo, como o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Lusa

  • Autópsia à mulher baleada pela PSP contradiz agentes
    1:28

    País

    A mulher que morreu acidentalmente durante uma perseguição da PSP terá sido baleada no pescoço e o trio terá sido disparado por trás. Entretanto, segundo a imprensa, a PJ ainda não encontrou vestígios do tiroteio, entre os assaltantes do multibanco de Almada e a PSP.

  • Marinha dos EUA considera "absolutamente inaceitável" desenho de um pénis no céu

    Mundo

    Os cidadãos do Condado de Okanogan, em Washington, foram surpreendidos esta quinta-feira com o contorno de um pénis no céu. A imagem resultou de um rasto de condensação deixado por um avião militar norte-americano. A Marinha confirmou que um dos seus pilotos tinha desenhado a figura no ar e defendeu que a situação era "absolutamente inaceitável".