sicnot

Perfil

Ataque ao Charlie Hebdo

Ataque ao Charlie Hebdo

Ataque ao Charlie Hebdo

Um ano do atentado ao Charlie Hebdo é recordado com exposições em Portugal

Um ano depois do atentado contra a redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo, o Museu Nacional de Imprensa e a Bedeteca da Amadora assinalam a data na quinta-feira com exposições de ilustração e cartoon.

IAN LANGSDON

O Museu Nacional de Imprensa fará uma inauguração simultânea no Porto e em Lisboa, na Casa da Imprensa, da exposição "Liberdade com Humor Sempre", coordenada por Luís Humberto Marcos, que reúne cerca de uma centena de desenhos de humor de atuores de todo o mundo.

Na Bedeteca da biblioteca municipal da Amadora, na quinta-feira é inaugurada a exposição "Estúpidos, maldosos e semanais. Uma constelação em torno do Charlie Hebdo", que "visa mostrar o contexto" em que o semanário surgiu.

O ataque ao semanário Charlie Hebdo aconteceu a 07 de janeiro de 2015 e matou 12 pessoas, entre as quais os cartoonistas Cabu, Wolinski, Charb, Tignous e Honoré.

Um ano após o atentado que matou as principais figuras da caricatura francesa, o Charlie Hebdo escolheu para a capa um desenho do cartoonista Riss que apresenta um Deus assassino, com barba e armado de uma kalachnikov, sob o título "Um ano depois, o assassino continua a monte".

A edição de 32 páginas - em vez das habituais 16 - conta com um caderno especial de desenhos dos cartoonistas assassinados há um ano, cartoons dos atuais colaboradores, assim como textos da ministra francesa da Cultura, Fleur Pellerin, das atrizes Isabelle Adjani, Charlotte Gainsbourg, Juliette Binoche, do músico Ibrahim Maalouf, entre outras personalidades.

No editorial, o diretor do jornal e desenhador sobrevivente do atentado, denuncia "os fanáticos embrutecidos pelo Corão" e outros religiosos que tinham desejado a morte do jornal por "ousar rir da religião", garantindo que "as convicções dos ateus e dos laicos fazem mover mais montanhas que a fé dos crentes".

Antes do ataque, o jornal enfrentava graves dificuldades financeiras e tinha uma tiragem semanal média de 30 mil exemplares, vendendo atualmente cerca de cem mil exemplares nos quiosques - dez mil no estrangeiro - e tendo 183 mil assinantes.

Lusa

  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.