sicnot

Perfil

Pokémon Go

Pokémon Go

Pokémon Go

Já há quem "choque ovos" e leve Pokémon a passear por um preço

DAVID MOIR/EPA

A aplicação só foi lançada de forma oficial na passada sexta-feira em Portugal, mas desde então que se multiplicaram os serviços não oficiais para os utilizadores de Pokémon Go, desde quem "passeia" Pokémon a quem "choca ovos".

A própria Nintendo reconhecia, no comunicado inicial, que já antes do lançamento havia "milhares de portugueses" a sair à rua para procurar Pokémon em locais como "igrejas, praias e restaurantes", surgindo múltiplos relatos e imagens de concentrações em locais públicos de noite e de dia no grupo de Facebook da aplicação para telemóveis, que conta com mais de 23 mil membros.

A aplicação da Niantic encontra-se no topo da lista de transferências quer do iTunes quer da loja da Google (onde foi descarregada, a nível mundial, 1,2 milhões de vezes), e fez com que uma série de serviços fossem listados no portal OLX.

Na zona de Lisboa, há quem venda passeios de mota ("tenho capacete extra com a higiene necessária", lê-se no anúncio) entre 10 e 20 euros, ou de barco pelo Tejo por 40 com "paragem em todos os ginásios e 'pokestops' à escolha do cliente".

Na aplicação, o utilizador torna-se num treinador de Pokémon (criaturas animadas com vários formatos, com potencial de evolução e transformação para níveis superiores) que deve capturar tantos quantos puder, desenvolvê-los e eventualmente realizar combates com outros jogadores.

Em Setúbal, há, novamente através do OLX, pelo menos, um "chocador de ovos" com "vasta experiência, sem equipa, sério" que diz recolher os telemóveis dos clientes e entregar em sítio a combinar cobrando três euros por "chocar" um ovo de dois quilómetros, sete euros por um de cinco e 10 euros por um de 10 quilómetros, o que significa que, uma vez apanhado um ovo de Pokémon, é necessário colocá-lo numa incubadora e andar - literalmente - a distância necessária até obter o dito.

No Porto, há "treinadores profissionais" que cobram 20 euros para aumentar o nível dos Pokémon, num serviço de "máxima confiança, sem 'cheats/hacks', apenas longas caminhadas", semelhante ao de outro serviço de "Go Walking", que, segundo o anunciante, faz "chocagem de ovos no Pokémon GO" e "paragem em múltiplos 'checkpoints'".

Na quarta-feira, um utilizador do OLX de nome António chegou a publicar um anúncio (o seu primeiro naquele portal) de instalação da aplicação por cinco euros, sem realçar que a aplicação é gratuita.

A aplicação aprofunda o conceito de "apanhá-los todos" dos Pokémon, jogos criados no Japão na década de 1990 para Game Boy que vieram a dar origem a séries de animação e a mais jogos em diversas plataformas da Nintendo.

Lusa

  • "É o que ganho por jogar este jogo palerma"
    0:48

    Pokémon Go

    Um jogador do Pokémon Go embateu num carro da polícia, enquanto conduzia e jogava ao mesmo tempo. O acidente aconteceu em Baltimore nos Estados Unidos da América, sob o olhar atento das autoridades. Ninguém ficou ferido e a polícia aproveitou para reforçar os apelos. O jogo e as autoridades pedem aos jogadores para terem atenção ao que se passa no mundo real.

  • Os conselhos da PSP para jogar Pokémon Go
    1:45

    Pokémon Go

    A febre do Pokémon Go já invadiu Portugal. A PSP publicou no Facebook alguns conselhos para ajudar os jogadores a caçar Pokémons em segurança. Alguns dos alertas são: não caçar sozinho, não entrar em propriedades privadas e não jogar ao mesmo tempo que conduz. O intendente Hugo Palma pede também atenção às aplicações relacionadas com o jogo, que põem em causa os dados pessoais do jogador.

  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.