sicnot

Perfil

Pokémon Go

Pokémon Go

Pokémon Go

Pokémon Go chega à Venezuela e mobiliza cidadãos em Caracas

O jogo Pokémon Go chegou esta quinta-feira à Venezuela, estimulando os venezuelanos a caminhar pela cidade de Caracas na tentativa de capturar "criaturas" através do telemóvel.

"Baixei-o há apenas algumas horas e parece-me divertido. Estava ansioso por ver como funcionaria. Ainda não me aventurei a ir longe, mas já dei algumas votas dentro da urbanização à caça dos pokémons", disse um luso-descendente à agência Lusa.

À espera do final da tarde para reunir-se com os amigos e organizar "um grupo de caça", Luís Andrade, explicou que foi criada na rede social Twitter, a "1.ª comunidade de treinadores de Pokémon na Venezuela".

A euforia chegou também ao parlamento, organismo que vários deputados dizem ter sido invadido por "monstritos".

Pikachu, Abra, Tentacool, Flareon, Charmander, Magicarp, Drowzee, Porygon, Bulbasaur, Squirtle, Dratini, foram alguns dos nomes de "monstros" que os luso-venezuelanos disseram ter conseguido apanhar.

Mas alguns filhos de portugueses acreditam que há precauções a ter em conta antes de jogar o Pokémon Go, designadamente a segurança pessoal.

"Num país onde a insegurança é uma constante, sair a caminhar com um 'smartphone' visível é um risco bastante grande, tanto pessoal como material, pois os telefones custam um dinheirão", disse Elizabeth do Nascimento.

A chegada do Pokémon Go tem lugar depois de várias páginas da Internet noticiarem que não estaria disponível para descarregar na Venezuela.

No passado dia 27 de julho, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou o jogo virtual Pokémón Go de fazer parte da cultura de morte que impõe o capitalismo e que terá levado muitos jovens a se integrarem em organizações terroristas.

"Há que abrir um debate sobre a geração de uma cultura que gera realidades virtuais, como a realidade do recente jogo Pokémon Go. A realidade virtual é matar e matar, a cultura da morte que tem criado o capitalismo", disse durante o programa radiofónico e televisivo "Em Contato com Maduro".

Para o Presidente da Venezuela, trata-se de "um tema muito sério", porque leva os jovens a estar muito tempo ligados à tecnologia.

"A penetração dos novos mecanismos da cultura da violência na juventude venezuelana e mundial é um tema muito sério que aponta à individualização do ser humano, ligado só à tecnologia e na tecnologia ligado com realidades virtuais que o leva à cultura das armas e do mau", disse.

Como resultados desta "cultura da morte" Nicolás Maduro mencionou os recentes atentados terroristas no Afeganistão, na França, Síria e Alemanha.

"As realidades virtuais das armas, da cultura da morte que tem criado o capitalismo, isso deve ser motivo de preocupação", sentenciou, o Presidente da Venezuela que anunciou que levará o tema para ser debatido pela União de Nações da América do Sul.

Lusa

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Casos de cancro nos pulmões diminuem
    3:08

    País

    O mapa do cancro em Portugal está a mudar, pela primeira vez os casos de cancro do cólon ultrapassaram os do pulmão. A proibição de fumar em locais públicos tem levado à diminuição dos casos de tumores pulmonares.

  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28