sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Sampaio da Nóvoa sublinha candidatura independente

Sampaio da Nóvoa sublinha candidatura independente

Sampaio da Nóvoa desvalorizou as palavras de Maria de Belém que o posicionou mais à esquerda. Numa acção de campanha no Mercado de Alvalade, em Lisboa, Sampaio da Nóvoa sublinhou que é independente. Apesar dos mais de 60% que as sondagens dão a Marcelo Rebelo de Sousa, acredita que ainda é possível ganhar as eleições à Presidência da República.

  • "Não tenho o apoio formal do PS, mas tenho o apoio de muitos socialistas"
    24:19

    Presidenciais 2016

    Maria de Belém é advogada e jurista, ex-governante socialista e tem um longo currículo em cargos públicos. Avança, aos 66 anos, para as Presidenciais de 24 de janeiro, sem o apoio do partido do qual foi presidente e onde é militante há quase 40 anos. Sobre esta questão diz que não tem o apoio formal do PS, mas que tem o de muitos socialistas. Está convicta de que é a pessoa mais indicada para o cargo mais alto da Nação, pela sua experiência pública e política.

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Rui Rio comprometeu-se a realizar apenas dois debates
    0:45

    País

    Rui Rio disse esta terça-feira que foi apanhado de surpresa com a mudança de posição de Pedro Santana Lopes, que exige três debates entre os dois candidatos à liderança do PSD nos canais generalistas. Rui Rio reiterou ainda que se comprometeu a fazer apenas dois debates.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.