sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Cândido Ferreira pede a Sampaio da Nóvoa que desista das eleições

O candidato presidencial Cândido Ferreira pediu hoje, numa carta enviada ao também candidato Sampaio da Nóvoa, que desista da corrida, considerando que não merece o lugar e que isso facilita uma candidatura de centro e de esquerda.

LUSA

"Em nome dos ideais que diz perfilhar, estará ainda muito a tempo de tomar uma decisão digna desistindo da corrida por um lugar que não merece, e assim facilitar o caminho a uma candidatura de centro e de esquerda, moderada, patriótica e humanista, a única que pode inverter a tendência em curso e relançar a esperança entre os portugueses, na próxima campanha eleitoral", refere Cândido Ferreira numa carta aberta a Sampaio da Nóvoa, hoje divulgada.

Na carta, Cândido Ferreira fala na "inexperiência política" de Sampaio da Nóvoa, bem como no "impressionante desconhecimento sobre as gentes do país onde nasceu".

O médico acusa a candidatura de Sampaio da Nóvoa de ter aberto "caminho a uma vitória fácil da direita, que hoje se anuncia logo na primeira volta".

"Adivinha-se que, de cada vez que abra a boca, se torne presa mais fácil do candidato da direita e que será trucidado nos debates, quando confrontado com as suas tremendas fragilidades e contradições", defende Cândido Ferreira.

Para o também antigo presidente da Federação Distrital de Leiria do PS, "o facto de [Sampaio da Nóvoa] pôr os seus interesses pessoais acima de tudo se revelará fatal no escrutínio de que será alvo".

Cândido Ferreira acusa também Sampaio da Nóvoa de não conseguir disfarçar "o extremismo das posições políticas conotadas com uma esquerda radical em que nem o PS se revê".

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as várias as fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto por mostrar, de forma crua, as consequências das chamas. A foto é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.