sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Maria de Belém sublinha importância da economia social

A candidata presidencial Maria de Belém afirmou hoje, em Setúbal, que a economia social é um eixo importante da sua candidatura, porque é uma área de intervenção fundamental para que muitas pessoas consigam reconstituir as suas vidas.

MIGUEL A. LOPES

Esta área "tem um enorme poder de intervenção na reconstituição da vida de muitas pessoas, que, se não fosse esta forma de economia [social], estariam completamente fora de qualquer hipótese de vida com dignidade", disse.

Maria de Belém falava aos jornalistas no final de uma visita ao Centro Social de Nossa Senhora da Paz, da Cáritas Diocesana de Setúbal, em que se fez acompanhar pelo reitor do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, Luís Reto, autor de um estudo sobre a importância económica da economia social.

"Aquilo que vim aqui visitar foi um estabelecimento muito importante da Cáritas Diocesana de Setúbal, Centro Social de Nossa senhora da Paz, que está inserido num bairro social [Bela Vista], com problemas muito específicos e muito próprios", disse a candidata presidencial.

"E aquilo que nós vemos é uma capacidade grande de intervenção social em várias áreas, desde o acolhimento de crianças, até ao acolhimento de pessoas mais velhas, quer em centro de dia, quer em apoio domiciliário e, também, um protocolo com o IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional), que permite dar competências a muitas das pessoas que aqui moram e que não têm, sequer, as competências básicas mínimas", acrescentou.

Questionada pelos jornalistas, Maria de Belém reafirmou a intenção de dar a conhecer a realidade portuguesa a chefes de Estado estrangeiros e a outras personalidades, com visitas a universidades, lares de idosos e outros equipamentos, deixando claro que, se for eleita para a Presidência da República, não se irá cingir aos jantares protocolares em Palácios e outros espaços tradicionais.

"Temos de mostrar o nosso país como ele é, sejam as nossas universidades, que são extraordinárias hoje em dia e que têm atividades no domínio da investigação, que devem ser conhecidas. É o país desenvolvido que nós queremos mostrar", defendeu.

Segundo Maria de Belém Roseira, também devem ser mostradas as "redes de acolhimento".

"Como é que nós trabalhamos e como é que nós pretendemos que as pessoas tenham oportunidades na vida, para que não sejam as primeiras vítimas da crise económica e financeira. Como dizia o relatório da Cáritas Europa do ano passado, os pobres são as vítimas de uma crise que não causaram", concluiu.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19