sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Marisa promete combate à Constituição "ilegal e secreta" dos "donos disto tudo"

A candidata presidencial Marisa Matias prometeu hoje lutar contra a Constituição dos "donos disto tudo", "ilegal e secreta" e que se impõe à lei aprovada, afirmando que há candidatos que apenas podiam jurar a capa do texto constitucional.

ANT\303\223NIO COTRIM

Num comício que hoje à tarde esgotou o cinema São Jorge, em Lisboa - que reuniu a família bloquista, o secretário-geral do partido espanhol Podemos, Pablo Iglesias, e até contou com a surpresa do apoio da deputada do PS Helena Roseta - Marisa Matias disse que "há uma Constituição ilegal e secreta que manda em Portugal e é simplesmente a que se faz em Bruxelas e Berlim, nas administrações, na banca e nos gabinetes dos advogados. É a Constituição dos donos de isto tudo".

Para a candidata, esta Constituição "não escrita impõe-se à lei que foi aprovada" e que "esquece tudo e ignora tudo porque é a lei dos interesses".

Segundo a candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda, há "nesta campanha os candidatos da conversa fiada, que têm medo de tudo, que aceitam tudo, que se preocupam muito mais com a cerimónia e com o palácio do que com a dificuldade da vida das pessoas", ironizando que a leitura de "vários candidatos do texto constitucional não chega sequer ao preâmbulo".

E por isso Marisa Matias questiona o que é que estes opositores apoiam, concluindo que é apenas "o nome da lei, a capa da Constituição" e que por isso, caso a jurassem, teriam que alterar o texto e dizer: "juro por minha honra cumprir e fazer cumprir a capa da Constituição da República Portuguesa".

A eurodeputada do BE recorreu ao escritor angolano Pepetela para um dos momentos mais aplaudidos do discurso - que hoje, ao contrário dos comícios habitual, ultrapassou a meia hora de duração - quando falou dos "calcinhas, que tremem sempre perante os poderes, que andam aprumadinhos na sua farda, que obedecem a tudo, que gostam de tudo, que aceitam tudo".

"O topo do nosso país está cheio de calcinhas", disse, considerando que estes "são os reis da política realista e os resultados da política realista são realisticamente a desgraça do nosso país".

Marisa Matias assume-se como uma das pessoas de um "povo que luta" e deixa o aviso: "eu sou a candidata perigosa para os calcinhas, para a tristeza, para a fatalidade. Eu vibro mesmo com a luta do meu povo".

"Eu, Marisa Matias, de 39 anos, vou convoco à guerra contra a política vazia e vou levantar a voz das pessoas que são sempre sacrificadas", garantiu.

A candidata apoiada pelo BE insistiu ainda na ideia de que ainda é possível uma segunda volta, "que fado não é fatalidade, que a partida não acabou" e que ainda está tudo em aberto nestas eleições presidenciais.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.