sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Dia de eleições nublado, com pouca chuva e ligeiramente mais quente

O dia das eleições presidenciais será marcado por "céu pouco nublado" e pouca probabilidade de chuva no continente, com as temperaturas mínimas a subirem "ligeiramente", segundo a previsão do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) hoje divulgada.

© Rafael Marchante / Reuters


Para o continente, "prevê-se a ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco, que no fim de semana tendem a ser pouco frequentes e, eventualmente, apenas nas regiões Norte e Centro", refere o IPMA em comunicado, acrescentando que no domingo, dia 24, "a probabilidade de não ocorrer precipitação em todo o território é superior a 90%, com predomínio de céu pouco nublado".

Relativamente às temperaturas, as mínimas "tenderão a subir ligeiramente e, no dia 24, deverão variar aproximadamente entre 8ºC e 12ºC".

No nordeste transmontano e na Beira Alta, os valores deverão ser "ligeiramente mais baixos", enquanto na costa sul do Algarve deverão ser "ligeiramente mais elevados".

"As temperaturas máximas serão agradáveis, variando aproximadamente entre 14ºC e 20ºC, com exceção da zona da serra da Estrela, onde serão ligeiramente inferiores", continua a nota enviada às redações.

O estado do tempo em Portugal continental será condicionado, desde hoje e até domingo, por "uma vasta região depressionária complexa centrada sobre o Atlântico Norte, e por outro lado, um anticiclone localizado sobre o interior do continente europeu que, gradualmente, tende a impor a sua influência no fim de semana das eleições".

"Associada a esta corrente, ter-se-á a passagem de massas de ar tropical húmido", acrescenta o IPMA.

Para o arquipélago da Madeira, a instituição prevê "períodos de muita nebulosidade e poderão ocorrer períodos de chuva fraca e aguaceiros fracos e poucos frequentes.

"Para o final do dia 24 poderão ocorrer períodos de chuva", acrescenta a instituição.

Relativamente às temperaturas, as mínimas "deverão variar aproximadamente entre 15ºC e 17ºC, e as máximas entre 18ºC e 22ºC".

"Nas zonas montanhosas, os valores mínimos e máximos serão substancialmente mais baixos", avisa o IPMA.

O estado de tempo na Madeira será condicionado, também desde hoje e até domingo, por "um anticiclone relativamente estacionário localizado a su-sudoeste do arquipélago, e ao qual está associada uma massa de ar, maioritariamente tropical".

"No final de dia 24, ter-se-á a aproximação de uma superfície frontal fria", conclui o IPMA.

O boletim divulgado hoje não inclui previsões meteorológicas para o arquipélago dos Açores.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.