sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais, mais uma grande operação SIC

DOMINGO

Domingo, às 20 horas em ponto, a SIC e a SIC Notícias revelam o nome do futuro Presidente da República ou, caso haja segunda volta, os nomes dos dois candidatos que seguem em frente.

Uma sondagem feita à boca das urnas, a cargo da Eurosondagem, marcará a noite informativa, a emitir em simultâneo nos dois canais da SIC.

Rodrigo Guedes de Carvalho será o pivot da emissão, em direto a partir das instalações do grupo Impresa, em Paço de Arcos.

Clara de Sousa conduzirá os debates.

Mais de uma dezena de equipas de reportagem estarão em direto dos quartéis generais das candidaturas e das sedes partidárias, que vão reagir à sondagem da SIC e aos resultados oficiais.

Três grupos de comentadores farão a análise política dos resultados ao longo da noite, na SIC e na SIC Notícias.

Ricardo Costa e Miguel Sousa Tavares integram o primeiro painel.

Segue-se a análise de Marques Mendes, Santana Lopes, António Vitorino e Francisco Louçã.

Os comentadores da Quadratura do Círculo, Pacheco Pereira, Lobo Xavier e Jorge Coelho, fecham o debate da noite informativa.

A emissão começa pelas 18 horas na SIC Notícias. Às 20 horas arranca, em simultâneo, na SIC generalista. Termina quando todos os dados relevantes estiverem divulgados e analisados.

A operação envolve mais de uma centena de profissionais.

O site informativo da estação (sicnoticias.sapo.pt) dará também especial destaque a mais esta maratona informativo.

  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.