sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Marcelo também vence no Muro, Trofa, onde votaram 37 pessoas

O Presidente da República eleito no domingo, Marcelo Rebelo de Sousa, venceu também no Muro, concelho da Trofa, onde as eleições se repetiram hoje, depois do boicote em reivindicação pelo prolongamento da linha de metro.

Marcelo Rebelo de Sousa, futuro Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa, futuro Presidente da República.

M\303\201RIO CRUZ

Marcelo Rebelo de Sousa recolheu 24 votos de um total de 37 votantes. Em segundo lugar ficou Vitorino Silva, conhecido como Tino de Rans, com sete votos, seguido de Marisa Matias, com três, e de Sampaio da Nóvoa, com dois, numa votação que contabilizou um voto nulo.

No domingo passado, dia das eleições presidenciais, as assembleias de voto no Muro não abriram as portas, num boicote que assinalou a reivindicação da população pela construção da linha de metro: prolongamento da linha do Instituto Superior da Maia (ISMAI) até à Trofa.

Hoje, as assembleias de voto abriram pelas 11:00 horas "graças aos esforços da câmara da Trofa" que, conforme descreveu à agência Lusa o presidente da Junta, Carlos Martins, conseguiu o mínimo de pessoas para assegurar o ato eleitoral: três por cada mesa, num total de seis.

Carlos Martins contou que o ato eleitoral decorreu "pacificamente" e não se mostrando surpreendido pela pouca adesão às urnas.

"A pouca afluência deve-se ao facto de ser dia de trabalho, do vencedor já estar escolhido e a grande maioria mantém a decisão de não votar em reivindicação pela linha do metro", disse o presidente da Junta de Freguesia do Muro.

Esta não foi a primeira vez que os habitantes desta freguesia da Trofa, distrito do Porto, boicotam um ato eleitoral, num local onde estão recenseadas cerca de 1.600 pessoas.

Em 2011, nas eleições presidenciais em que foi eleito Aníbal Cavaco Silva, as eleições no Muro foram boicotadas no domingo 23 de janeiro, repetiram-se a 25, terça-feira. Também em maio de 2014 nas eleições Europeias houve boicote no Muro.

Recorde-se que a 24 de fevereiro de 2002, a circulação ferroviária nas linhas da CP da Póvoa de Varzim e da Trofa foram encerradas para dar início às obras de construção do canal do metro, disponibilizando-se um serviço de transportes alternativos em autocarro aos clientes.

Mas a população da Trofa continuou sem metro, enquanto a ligação à Póvoa foi inaugurada a 18 de março de 2006.

Em dezembro de 2009 foi lançado o concurso público internacional para a linha da Trofa que acabou por ser suspenso em setembro de 2010.

Recentemente, em outubro do ano passado, foi anunciado que a Linha Verde do metro do Porto vai estender-se, através da Maia, até à Trofa com a criação de duas estações, num projeto de cerca de 36,7 milhões de euros, mas a população do Muro continua a manifestar muitas dúvidas.

Lusa

  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14