sicnot

Perfil

Prince 1958-2016

Prince 1958-2016

Prince 1958-2016

Obama classifica Prince como "ícone criativo"

O Presidente norte-americano, Barack Obama, lamentou hoje a morte súbita de Prince, classificando-o como um dos artistas mais talentosos do seu tempo.

© Kevin Lamarque / Reuters

"Hoje, o mundo perdeu um ícone criativo", disse Obama em comunicado, acrescentando: "Poucos artistas influenciaram o som e a trajetória da música popular de forma tão distinta, ou tocaram tantas pessoas com o seu talento".

"Como um dos mais dotados e prolíficos músicos do nosso tempo, Prince fez de tudo: Funk, R&B, Rock and Roll. Era um instrumentista virtuoso, um vocalista brilhante e um intérprete eletrificante", enumerou.

No ano passado, Obama convidou Prince, juntamente com Stevie Wonder, para atuar num concerto para amigos na Casa Branca, que gerou alguma polémica por ter sido um evento privado.

Era conhecida a tendência da lenda da 'pop' para manter a sua privacidade, mas ocasionalmente emitia declarações políticas. Por exemplo, no ano passado, compôs a canção "Baltimore" para apoiar as vítimas afro-americanas da brutalidade policial.

  • Chuva, vento forte, granizo e neve em 13 distritos
    1:42
  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.