sicnot

Perfil

Prince 1958-2016

Prince 1958-2016

Prince 1958-2016

Transcrição da chamada para o 112 sobre a morte de Prince

As autoridades divulgaram a transcrição da chamada feita para o 911 (o 112 norte-americano) a dar conta da morte de Prince. Quem fez a chamada começou por dizer que uma pessoa estava inconsciente, mas acabou por confirmar que estava morto e que era o artista, criando ainda alguma confusão com o endereço.

Alex Brandon

Operador: 911, onde é sua emergência?
Homem não identificado: Olá, hum, qual é o endereço, aqui? Sim, precisamos de uma ambulância agora.
O: OK.
H: Temos aqui uma pessoa que está inconsciente.
O: OK, qual é o endereço?
H: Hum, nós estamos na casa do Prince.
O: OK, alguém sabe o endereço? Existe alguma correspondência em que possa confirmar?
H: Sim, sim, OK, espere.
O: OK, o seu telemóvel não me vai dizer onde está, por isso preciso que encontre o endereço.
H: Sim, temos um, sim, temos um, então, sim, um, a pessoa está morta.
O: OK, indique-me o endereço por favor.
H: OK, OK, estou à procura.
O: Concentre-se nisso.
H: E as pessoas estão perturbadas.
O: Eu percebo que estejam destroçados, mas -
H: Eu estou a procurar, estou a procurar.
O: OK, sabemos como a pessoa morreu?
H: Eu não sei, eu não sei.
O: OK.
H: Hum, então estamos, estamos em Minneapolis, Minnesota, e estamos na casa do Prince.
O: Você está em Minneapolis?
H: Sim, Minneapolis, Minnesota.
O: Tem certeza de que estão em Minneapolis?
H: Correto.
O: OK, já encontrou um endereço?
H: Sim, hum, eu sinto muito, eu sinto muito, eu preciso, eu preciso do endereço daqui?
Mulher não identificada: 7801.
H: 7801.
O: 7801 quê?
H: Paisley Park, estamos em Paisley Park.
O: Você está em Paisley Park, OK, que é em Chanhassen. Você está com a pessoa que está...
H: Sim, é o Prince.
D: OK.
H: A pessoa.
O: OK, ficar na linha comigo.
H: OK (toque de telefone)
Operador de Ambulância de Ridgeview: Ambulância, Shirley.
O: Carver com a transferência para Paisley Park Studios, 78.
Operador de Ambulância: Paisley Park Studios, OK.
O: 7801 Audubon Road.
Operador de Ambulância: OK.
O: Temos uma pessoa inconsciente, sem respirar.
Operador de Ambulância: Inconsciente, sem respirar.
O: Sim.
H: Ele é, ele é -
O: Nós vamos chegar a todos, vá em frente com a transmissão, senor.
(Operador 2 de Carver County entra online)
Operador de Ambulância: Sim, Kayley, aqui é Shirley em Ridgeview. Você pode cancelar qualquer ida para Aubudon, DOA [dead on arrival, morte] confirmada.
Operador 2: OK, obrigado.
Operador de Ambulância: Ok, obrigado, adeus.

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC