sicnot

Perfil

2015 em revista

SIC no terreno: ataques de janeiro e novembro em Paris e as eleições na Grécia

REVISTA DO ANO

SIC no terreno: ataques de janeiro e novembro em Paris e as eleições na Grécia

Nos primeiros dias do novo ano, passamos em revista alguns dos trabalhos feitos pela redação da SIC em 2015. A nível internacional, os ataques em Paris, de janeiro e de novembro, foram dois acontecimentos que marcaram o ano. A jornalista Catarina Neves esteve no terreno a dar-nos conta da situação e é precisamente sobre o que viveu em França que nos fala. Nos ataques ao Charlie Hebdo, trabalhou com o repórter de imagem Nuno Fróis e, em novembro, com Odacir Júnior. Foi também em 2015 que se realizaram as eleições na Grécia. O jornalista Pedro Cruz e o repóter de imagem Carlos Morais acompanharam o ambiente que se viveu no país e contam-nos algumas histórias de bastidores.

  • Os momentos de 2015
    2:25

    2015 em revista

    Na contagem decrescente para o final do ano, analisamos, ao longo desta semana, os acontecimentos que marcaram 2015. Nesta reportagem, continuamos com uma seleção dos jornalistas da SIC.

  • Os momentos de 2015
    2:23

    2015 em revista

    Na contagem decrescente para o final do ano, fique a conhecer, ao longo desta semana, quais os acontecimentos de 2015 que marcaram quem trabalha na redação da SIC.

  • Os momentos de 2015
    1:57

    2015 em revista

    Na contagem decrescente para o final do ano, vamos saber, ao longo desta semana, os acontecimentos que marcaram quem trabalha na redação da SIC.

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.