sicnot

Perfil

Rio 2016

Brasil não foi informado de ameaça do Daesh à delegação francesa dos Jogos

A Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) não foi informada pelos serviços secretos franceses de que um brasileiro ligado ao Daesh estava a planear um atentado contra a delegação francesa durante os Jogos Olímpicos Rio2016.

© Sergio Moraes / Reuters

A informação consta de um relatório de oficiais de inteligência do governo francês divulgado hoje no site da Assembleia Nacional.

Segundo a imprensa, a informação foi passada pelo chefe da Direção de Inteligência Militar, general Christophe Gomart, durante uma audiência a 26 de maio na Comissão Parlamentar de Luta contra o Terrorismo que investiga os atentados de 2015 em França.

"Ainda não, hoje não", respondeu o diretor-geral da ABIN, Wilson Roberto Trezza, quando lhe perguntaram se recebeu esse relatório, durante uma conferência de imprensa sobre as medidas que estão a ser tomadas para garantir a segurança durante os Jogos.

"Não posso assegurar o que houve para que ele tivesse divulgado e não tivesse falado connosco ainda, mas certamente nós vamos sentar-nos para conversar sobre isso", disse, frisando que os serviços secretos dos dois países têm tido conversações permanentes.

Antes de a informação ter sido divulgada na conferência de imprensa, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Westphalen Etchegoyen, já tinha respondido, relativamente a ameaças contra a delegação francesa, de que nenhuma delegação teria um tratamento especial.

O diretor de contrainteligência da ABIN, David Bernardes, esclareceu que a ABIN desceu o nível de alerta específico para terrorismo, que em maio era de quatro (numa escala de um a cinco), após terem sido tomadas medidas de segurança.

"Quando o nível de proteção é adequado, o nível de alerta diminui", acrescentou, sem avançar, no entanto, o nível atual.

O diretor-geral da ABIN, que antes tinha começado por dizer que não havia um nível de alerta, depois acabou por explicar que se tratava de algo específico, não existindo no Brasil um nível geral para informar a população quanto a ameaças terroristas, como acontece noutros países.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional acrescentou que o nível quatro deveu-se igualmente ao facto de maio ter sido um mês com "uma série de atentados terroristas no mundo".

Essa situação, acrescentou, levou as autoridades a aumentarem o alerta no Brasil, porque não existem outros elementos, como, por exemplo, uma "célula identificada" ou um terrorista que tenha entrado no país.

Em junho, a ABIN confirmou que estava a monitorizar um conjunto de pessoas que comunicam em português num grupo do Daesh no serviço de mensagens instantâneas Telegram.

O diretor-geral da ABIN não respondeu a várias perguntas sobre ameaças e não reconheceu, por exemplo, o número de uma centena de 'lobos solitários' com potencial para cometer atos de violência, incluindo terrorismo, no país, informação que tinha sido avançada pelo jornal brasileiro Globo, que cita um relatório da ABIN.

São esperados 10.500 atletas de 206 países para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que decorrem de 5 a 21 de agosto.

Com Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.