sicnot

Perfil

Rio 2016

Polícias e bombeiros ameaçam abandonar a segurança dos Jogos Olímpicos

Polícias e bombeiros da Força Nacional que se encontram no Rio de Janeiro para fazer a segurança durante os Jogos Olímpicos 2016 ameaçam abandonar a cidade por falta de condições de alojamento.

© Handout . / Reuters

"Eles fizeram panelaço [barulho com panelas em forma de protesto] nesta terça-feira e alguns estão a pedir para ir embora, desmobilizando. O que acontece ali é um absurdo", afirmou o cabo Elisandro Lotim, presidente da Associação Nacional dos Praças, citado pelo jornal Folha de São Paulo.

O responsável da associação comentou que "existe hoje no Brasil uma falta de respeito das autoridades com os direitos dos trabalhadores da segurança pública".

"Os polícias estão a passar fome em ambientes insalubres. E isso na preparação para um evento como os Jogos Olímpicos", denunciou.

Em causa estão as más condições nos apartamentos em que estão alojados, sem chuveiros ou camas, e com cortes de água constantes, e de atrasos nos pagamentos prometidos para este trabalho (o dobro do que recebem normalmente em missão).

Um agente contou ao diário brasileiro que as refeições servidas nas arenas chegam azedas ou com pouca variedade, e, ao contrário do que foi prometido, quem está de folga tem de pagar a sua alimentação.

Numa reunião realizada na terça-feira, os agentes pediram uma solução até sexta-feira, ameaçando pedir baixa e regressar aos seus Estados se tal não acontecer.

Hoje de manhã, de acordo com o jornal, o secretário nacional de Segurança Pública, Celso Perioli, reuniu-se com representantes da categoria em Brasília para tentar resolver o problema e o governo já fazer saber que solucionará a questão até quinta-feira.

A previsão de há um ano dava conta de que 9.600 agentes da Força Nacional seriam deslocados para o Rio de Janeiro por ocasião do maior evento desportivo do mundo, mas afinal serão apenas 6.000.

Atualmente, 3.000 elementos da Força Nacional encontram-se no Rio de Janeiro e outros 3.000 chegarão à cidade para os Jogos, que decorrem de 05 a 21 de agosto.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.