sicnot

Perfil

Rio 2016

Brasil revê medidas de segurança para o Rio 2016 após atentado em Nice

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, informou hoje que o Governo brasileiro vai "rever" as medidas de segurança para os Jogos Olímpicos 2016, na sequência do atentado de Nice.

"Desde aquele momento [mortes em Nice], o Ministério da Justiça, o Ministério da Defesa e o GSI estão a trabalhar para garantir que continuemos no mesmo nível de segurança nos Jogos Olímpicos", garantiu.

Vão ser necessárias "revisões, novas providências" e "muito trabalho intenso daqui para frente para manter o nível de segurança", vincou o governante.

"Essa revisão, obviamente, identificará algumas lacunas e posso dizer-lhes, com bom grau de probabilidade, que o quadro atual sugere-nos incremento de algumas medidas relativas aos Jogos", adiantou Sérgio Etchegoyen aos jornalistas.

Entre as medidas, explicou o governante, estão mais "postos de controlo, mais barreiras e algumas restrições no trânsito".

"É importante que a população entenda que vamos trocar um pouquinho de conforto por muita segurança", disse ainda.

Segundo o titular do GSI, o planeamento de segurança feito até aqui será "auditado" para perceber se houve uma "eventual lacuna" nas ações de preparação.

Um camião atingiu na quinta-feira à noite uma multidão em Nice, França, na Promenade des Anglais, quando decorria um fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e uma centena de feridos, 18 dos quais continuam em estado considerado crítico. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas já consideraram estar perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado. França decretou luto nacional de três dias.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.

Na quarta-feira, o Governo brasileiro foi surpreendido com a informação de que um brasileiro ligado ao Estado Islâmico estava a planear um atentado contra a delegação francesa durante os Jogos Olímpicos Rio2016.

Nesse dia, a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) respondeu aos jornalistas que não foi informada pelos serviços secretos franceses dessa ameaça.

A informação tinha sido passada pelo chefe da Direção de Inteligência Militar, general Christophe Gomart, durante uma audiência a 26 de maio na Comissão Parlamentar de Luta contra o Terrorismo que investiga os atentados de 2015 em França.

O Governo tem insistido que, embora haja sempre uma possibilidade, não há probabilidade de atentados durante o maior evento desportivo do mundo, que se realiza de 05 a 21 de agosto no Rio de Janeiro.

Hoje, o ministro voltou a dizer: "Sem querer transmitir um falso otimismo, o que seria uma enorme irresponsabilidade, estamos prontos para os Jogos Olímpicos de 2016".

O Presidente interino, Michel Temer, convocou uma reunião para a tarde de hoje com os ministros da Justiça, GSI e Defesa.

Lusa

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.