sicnot

Perfil

Rio 2016

Dez detidos por suspeita de preparar atentados terroristas durante o Rio 2016

© Stoyan Nenov / Reuters

As autoridades brasileiras detiveram hoje 10 pessoas e mantêm sob vigilância outras duas por suspeita de preparar atentados terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e ligações ao Daesh, anunciou o ministro da Justiça.

Segundo Alexandre Moraes, membros deste grupo que não foram identificados por determinação da Justiça realizaram uma espécie de "batismo" na internet, repetindo palavras de um vídeo e jurando fidelidade ao Daesh.

Até ao momento, 10 pessoas já foram presas pela Polícia Federal, entre elas um menor de idade. Terão tentado comprar armas através da internet.

"Todas as informações que temos indicam que alguns membros fizeram um único contato com o Daesh, um batismo na internet. Eles não saíram do país nem fizeram nenhum contato pessoal, mas a partir deste juramento, alguns atos preparatórios mais específicos começaram a ser realizados pelos membros deste grupo", afirmou o ministro.

Entre esses atos preparatórios citou uma ordem para que os membros iniciassem treino em artes marciais. Um deles também entrou em contato com um site que vende armas clandestinas no Paraguai, solicitando informações para comprar uma arma automática AK 47.

Os supostos terroristas não tinham nenhum alvo determinado ainda, mas mostravam disposição para organizar atentados.

"Era uma célula absolutamente amadora, sem nenhum preparo. Era uma ação desorganizada. Eu insisto e reitero que a questão da segurança pública gera mais preocupação do que o terrorismo nos Jogos Olímpicos. Apesar disto nós não podemos ignorar a ameaça", frisou.

O ministro também reiterou que a Polícia Federal dará prioridade total à realização de uma perícia em tudo que foi apreendido com os suspeitos para verificar se há mais ramificações ou não deste grupo ou se há algo que o rastreio do governo brasileiro deixou passar.

Citando mensagens trocadas pelos membros deste grupo em aplicativos como o WhatsApp e o Telegram, disse que os brasileiros reconheciam que o país não fazia parte dos alvos prioritários do Daesh, mas os Jogos Olímpicos mudaram isso.

Alexandre Moraes justificou que a ameaça e a realização de atos preparatórios levaram a Justiça brasileira autorizar a prisão. Acrescentou que os supostos terroristas ficarão presos por 60 dias.

Com Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.