sicnot

Perfil

Rio 2016

IAAF congratula-se com afastamento dos atletas russos

© Ricardo Moraes / Reuters

A Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF) congratulou-se com a decisão hoje do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) em relação à não-participação dos atletas russos nos Jogos do Rio2016.

"A IAAF tomou uma posição forte na defesa do código da Agência Mundial Antidopagem (AMA), sem medo ou favores, e está satisfeita por o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) apoiar a sua posição", refere o comunicado.

O organismo do atletismo mundial diz ainda que a decisão de hoje, do tribunal de Lausana, criou condições equitativas para os atletas.

"O TAS defendeu o direito da IAAF em aplicar as suas regras na proteção do desporto, de proteger atletas limpos e apoia a credibilidade e integridade da competição", acrescenta ainda a nota.

Também o presidente da entidade máxima do atletismo, Sebastian Coe, deixou uma mensagem, mostrando a sua satisfação com o apoio das regras e do código antidopagem, embora tenha falado de alguma amargura.

"Este não é um dia de comunicados triunfantes. Não vim para este desporto para impedir atletas de competirem. Há um desejo instintivo da nossa federação de incluir, não de excluir. Além do grupo de trabalho do Rio, vamos continuar a trabalhar com a Rússia para criarmos um ambiente limpo para os seus atletas, para que a sua federação e equipa possam regressar ao reconhecimento internacional e às competições", concluiu.

Hoje, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) rejeitou o recurso de 68 atletas russos à suspensão imposta pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), confirmando a sua ausência dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Lusa

  • As confissões de Sérgio Conceição: do futuro no FC Porto à zanga com Rui Vitória 
    43:14
  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC