sicnot

Perfil

Rio 2016

"Obrigada a todos por este funeral do atletismo"

© Sergei Karpukhin / Reuters

A múltipla campeã olímpica e mundial Yelena Isinbayeva considerou hoje que foi feito um "enterro ao atletismo", com a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) em rejeitar o apelo para uma participação no Rio 2016.

"Obrigada a todos por este funeral do atletismo", disse Isinbayeva, uma das mais conceituadas atletas do desporto mundial, no salto com vara, em declarações à agência de notícias russa, TASS.

A atleta, campeã olímpica em Atenas 2004 e Pequim 2008, e medalha de bronze nos Jogos de Londres 2012, considera que a decisão quanto a uma não-participação dos atletas, como era defendido pela IAAF e apoiado hoje pelo TAS, "é puramente política".

Isinbayeva, de 34 anos, que tem também vários títulos mundiais no currículo, procurava nos Jogos do Rio 2016, que se disputam de 5 a 21 de agosto, conquistar um terceiro ouro olímpico, antes de anunciar o final de carreira.

Hoje, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) rejeitou o recurso dos atletas russos à suspensão imposta pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), confirmando a ausência dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

"O painel do TAS confirmou a validade da decisão da IAAF de aplicar as regras (...), segundo as quais os atletas de uma federação que esteja suspensa pela IAAF são inelegíveis para competições organizados sob as regras da IAAF", lê-se num comunicado.

A federação russa e 68 atletas tinham recorrido da decisão da IAAF de suspender o atletismo russo de todas as provas, incluindo os Jogos Olímpicos, na sequência de um relatório independente da Agência Mundial Antidopagem (AMA), que revelou um sistema de dopagem apoiado pelo governo.


Lusa

  • "Estamos a investir na nossa própria desgraça"
    0:37
  • Saída dos EUA do acordo de Paris é "uma vergonha"

    Mundo

    O ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry considerou esta terça-feira "uma vergonha" a decisão do Presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo do clima de Paris, garantindo que o povo não acompanha esse gesto de "autodestruição".

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43