sicnot

Perfil

Rio 2016

Polícia brasileira detém suspeitos de planearem atos terroristas no Rio 2016

© Sergio Moraes / Reuters

A Polícia Federal do Brasil anunciou hoje a prisão de vários suspeitos de planearem atos terroristas no país, quinze dias antes da abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, noticia a Folha de São Paulo.

O serviço de Inteligência do governo brasileiro terá identificado um grupo cooptado por facções extremistas através da internet.

O suspeito foi detido no âmbito de uma operação contra o terrorismo sobre a qual falará o ministro da Justiça, Alexandre Moraes, que convocou uma entrevista coletiva em Brasília hoje às 11:00 (15:00 de Lisboa).

Nas últimas semanas, o presidente em interino, Michel Temer, divulgou manifestações em vídeo para tranquilizar turistas e atletas em relação à segurança do evento esportivo que começa no dia 5 de agosto.

Além dele, o próprio ministro da Justiça também reiterou em diversas oportunidades que o país está preparado e que existe um pequeno risco de atentados serem organizados no Brasil.

No entanto, informações divulgadas hoje pelo jornal O Estado e S.Paulo indicam que o Daesh e outros grupos jihadistas têm incitado seus seguidores a atuar como "lobos solitários" e realizar ataques terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio.

Com Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.