sicnot

Perfil

Rio 2016

Russos dizem que suspensão do Rio 2016 é decisão "sem fundamento"

© Bruno Kelly / Reuters

O ministro russo dos Desportos, Vitali Mutko, considerou hoje a rejeição do recurso à suspensão imposta pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), que confirma a ausência dos Jogos Olímpicos Rio 2016, uma "decisão politica" e "sem fundamento jurídico".

O Tribunal Arbitral dos Desportos (TAS), em comunicado, confirmou "a validade da decisão da IAAF de aplicar as regras, segundo as quais os atletas de uma federação que esteja suspensa pela IAAF são inelegíveis para competições organizados sob as regras da IAAF".

"Só posso expressar a minha deceção. Vamos pensar sobre os próximos passos. Eu acho que é uma decisão subjetiva, política e sem base jurídica", disse o ministro russo Vitali Mutko à agência de notícias TASS, após conhecida a decisão de afastar o atletismo russo do Rio 2016.

O Kremlin também já expressou o seu "profundo pesar" pela decisão do TAS, considerando inaceitável a ideia de responsabilização coletivamente que está patente na proibição de participação da equipa de atletismo russa no Rio 2016.

"Nós só podemos expressar o nosso profundo pesar", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, reagindo ao comunicado do TAS, que confirma a ausência do atletismo russo dos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

A federação russa e 68 atletas tinham recorrido da decisão da IAAF de suspender o atletismo russo de todas as provas, incluindo os Jogos Olímpicos, na sequência de um relatório independente da Agência Mundial Antidopagem (AMA), que revelou um sistema de dopagem apoiado pelo governo.

Os 67 atletas russos, cuja defesa foi feita pela saltadora Yelena Isinbayeva, tinham também recorrido para o TAS da decisão da IAAF de impedir que participassem no Rio 2016 como independentes.

Lusa

  • Presidente catalão garante ter plano de contingência
    2:14
  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • Subimos ao novo miradouro no pilar da Ponte 25 de Abril
    2:06
  • Uber perde licença para operar em Londres

    Economia

    O regulador de transporte de Londres decidiu hoje que vai retirar à Uber a licença para operar na capital britânica. A proibição entra em vigor no final deste mês e vai afetar 40 mil motoristas da empresa multinacional norte-americana.

  • 60 sobreviventes resgatados dos escombros no México
    1:21