sicnot

Perfil

Rio 2016

Kremlin espera que atletas fora das suspeitas de doping possam ir aos Jogos Olímpicos

Porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

© Sergei Karpukhin / Reuters

O Kremlin disse hoje esperar que o Comité Olímpico Internacional (COI) autorize que os atletas russos "limpos" possam participar nos Jogos Olímpicos Rio 2016, dois dias antes de o organismo renuir para se pronunciar sobre uma eventual exclusão da Rússia.

"Acreditamos que os desportistas que não estejam sob suspeita [de doping], nem tenham sido apanhados [por dopagem], devem poder participar nos Jogos Olímpicos", afirmou o porta-voz do Kremlin Dmitri Peskov.

O COI vai reunir no domingo, por telefone, para estudar o veredicto emitido na quinta-feira pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) de manter a proibição dos atletas russos de participarem nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

A Comissão Executiva do organismo olímpico poderá anunciar uma decisão final relativamente à suspensão da Rússia do maior evento desportivo mundial, por enquanto, limitada apenas ao atletismo.


Lusa

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.