sicnot

Perfil

Rio 2016

Kremlin espera que atletas fora das suspeitas de doping possam ir aos Jogos Olímpicos

Porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

© Sergei Karpukhin / Reuters

O Kremlin disse hoje esperar que o Comité Olímpico Internacional (COI) autorize que os atletas russos "limpos" possam participar nos Jogos Olímpicos Rio 2016, dois dias antes de o organismo renuir para se pronunciar sobre uma eventual exclusão da Rússia.

"Acreditamos que os desportistas que não estejam sob suspeita [de doping], nem tenham sido apanhados [por dopagem], devem poder participar nos Jogos Olímpicos", afirmou o porta-voz do Kremlin Dmitri Peskov.

O COI vai reunir no domingo, por telefone, para estudar o veredicto emitido na quinta-feira pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) de manter a proibição dos atletas russos de participarem nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

A Comissão Executiva do organismo olímpico poderá anunciar uma decisão final relativamente à suspensão da Rússia do maior evento desportivo mundial, por enquanto, limitada apenas ao atletismo.


Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21