sicnot

Perfil

Rio 2016

Austrália recusa-se a ocupar aldeia olímpica

A aldeia olímpica do Rio de Janeiro abriu as portas e a delegação australiana já denunciou "vários problemas, como gás, eletricidade e canalização", recusando-se a ocupar os seus alojamentos.

"Devíamos ter ido para a aldeia a 21 de julho [na quinta-feira] mas temos ficado em hotéis nas redondezas, porque a aldeia, simplesmente, não está segura ou pronta", frisou a Chefe de Missão australiana.

Kitty Chiller justificou a decisão em comunicado, descrevendo a existência de "casas de banho trancadas", de "canos rotos" ou "água a escorrer do teto e a empoçar".

A responsável australiana prosseguiu com queixas, tais como sujidade, mas também "água a escorrer pelas paredes, curto-circuitos elétricos e um forte odor a gás", acrescentando que as delegações britânica e neozelandesa, entre outras, tiveram os mesmos problemas.

A presidente da aldeia olímpica, a antiga basquetebolista brasileira Janeth, admitiu que as instalações não estão a 100%, mas confia que tudo esteja "resolvido" nos próximos dias.

"As reclamações são normais, nos primeiros dias em que chegas encontras sempre problemas. Isso acontece em todas as grandes obras, até as que fazemos em casa", afirmou a medalha de prata em Atlanta96 e bronze em Sydney2000.

Após estas denúncias, o comité organizador contratou 500 pessoas para resolver rapidamente estes problemas.

A menos de duas semanas da cerimónia de abertura, marcada para 05 de agosto, no Estádio do Maracanã, as instalações da aldeia olímpica devem começar a receber gradualmente mais de 10.000 atletas de um total de 207 delegações, entre as quais a inédita de refugiados.

No total, são esperadas 18.000 pessoas na aldeia, apoiadas por cerca de 13.000 funcionários e voluntários.

Também hoje, as forças armadas brasileiras iniciaram o patrulhamento das ruas do Rio de Janeiro, a fim de reforçar a segurança para os Jogos, que vão decorrer entre 05 e 21 de agosto.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.