sicnot

Perfil

Rio 2016

Cinco canoístas russos excluídos dos Jogos Olímpicos

© Kai Pfaffenbach / Reuters

A Federação Internacional de Canoagem (ICF) anunciou hoje a exclusão de cinco canoístas russos dos Jogos Olímpicos Rio2016, no âmbito do caso de dopagem que envolve a Rússia.

"Estamos certos que se pisamos o risco não estaremos na linha de partida", referiu o secretário-geral da ICF, Simon Toulson, no momento em que a canoagem se torna a mais recente modalidade a excluir desportistas.

Os atletas excluídos pela canoagem são citados no relatório McLaren, um documento elaborado pelo canadiano Richard McLaren, professor de direito, que a pedido da Agência Mundial antidopagem extraiu conclusões no escândalo de doping na Rússia.

Entre os afetados estão Alexey Korovashkov, medalha de bronze nos Jogos Londres2012 em C2 1000 e cinco vezes campeão mundial, e Alexander Dyachenko, campeão olímpico na capital inglesa, nos 200 metros de K2.

Excluídos estão também Elena Aniushina, Natalia Podolskaya, e Andrey Kraitor, cujos nomes também são indicados no relatório.

"Em cada caso a ICF impõe uma imediata suspensão, independente de uma investigação, tornando os atletas indicados inelegíveis para competirem nos Jogos Olímpicos do Rio2016", acrescenta a ICF.

McLaren trouxe a lume não só nomes de vários atletas, mas identificou também o estado russo, com a colaboração dos serviços secretos, como conivente num esquema organizado de dopagem na Rússia, na falsificação ou adulteração de amostras.

Além de todo o atletismo russo, já proibido pela Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF), natação, remo, halterofilista e luta foram outras modalidades que já anunciaram a exclusão de atletas russos.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.