sicnot

Perfil

Rio 2016

Dilma recusa participar como espectadora na abertura dos Olímpicos

​A presidente com mandato suspenso do Brasil, Dilma Rousseff, disse hoje que não vai à abertura oficial dos Jogos Olímpicos, porque recusa ser espetadora de evento em que foi protagonista.

"Eu tive uma participação direta, mas agora quem vai para o palanque oficial é uma pessoa [o Presidente interino Michel Temer] que não trabalhou. Não vou participar na condição de espectadora de um ato em que eu fui protagonista. Por isso eu prefiro não ir ", disse Dilma Rousseff, em entrevista à Rádio Educadora, de Minas Gerais.

Dilma Rousseff declarou que todas as providências de segurança necessárias para receber os Jogos Olímpicos foram tomadas e considerou que o Brasil está pronto para sediar o evento.

Na entrevista, a chefe de Estado também lembrou que o país tem experiência em receber grandes eventos, como o campeonato do mundo de futebol e a Jornada Mundial da Juventude, e capacitação para enfrentar ameaças de terrorismo.

"O governo interino [de Michel Temer] não mandou embora as pessoas responsáveis pela área de segurança da Olimpíada, então espero que eles não tenham comprometido esse processo", disse.

A Presidente com mandato suspenso também comentou a crise económica que afeta o país, dizendo que os fundamentos da economia não mudam em dois meses e se houve alguma melhoria não é responsabilidade do Governo de Michel Temer.

"Todos os fundamentos da economia foram dados no meu governo. Em dois meses ninguém recupera nada", afirmou.

Dilma Rousseff declarou que o problema é que durante seu Governo havia uma tentativa sistemática de criar um mau ambiente sobre a economia brasileira.

"Pela imprensa, todos os dias o mundo ia cair na nossa cabeça. Quando isso para de acontecer, diminui o mal-estar. É isso que está acontecendo agora", finalizou.

A Presidente foi afastada do cargo no passado dia 12 de maio pelo Senado (câmara alta parlamentar) para responder à acusação de que cometeu crimes fiscais.

O processo contra a chefe de Estado brasileira está a ser analisado pelos senadores e pode ser julgado em agosto.

Se for condenada, Dilma Rousseff perderá o cargo de Presidente da República do Brasil e não poderá concorrer em eleições para cargos públicos por um período de oito anos.

Lusa

  • O dia em que o Brexit começa
    1:25

    Brexit

    A primeira-ministra britânica já assinou a carta que vai enviar ao Conselho Europeu para formalizar a vontade do Reino Unido de sair da União Europeia. O artigo 50.º do Tratado de Lisboa será ativado nas próximas horas. Na véspera, Theresa May recebeu da Escócia um novo contratempo político.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Governo vai dar mais meios à investigação criminal
    2:34

    País

    A ministra da Justiça garante que o Governo vai dar mais meios à investigação criminal, mas assegura que não vai mexer nos prazos dos inquéritos. A questão tem sido insistentemente levantada pela defesa de José Sócrates, que se queixa de que a Operação Marquês já ultrapassou todos os prazos.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.