sicnot

Perfil

Rio 2016

Seis ciclistas russos afastados dos Olímpicos por doping

​A União Ciclista Internacional (UCI) excluiu seis atletas russos dos Jogos Olímpicos face ao historial de doping ou por serem mencionados no relatório McLaren da Agência Mundial Antidoping (AMA).

Em comunicado, a UCI explica que a AMA informou que "três ciclistas selecionados pelo Comité Olímpico da Rússia estavam potencialmente implicados" nas práticas fraudulentas denunciadas no McLaren.

Mesmo sem revelar os nomes, a UCI diz que comunicou a sua decisão ao Comité Olímpico Internacional (COI), a pouco mais de uma semana da abertura dos Jogos Olímpicos.

Foram igualmente vetados três outros ciclistas que já tinham sido punidos no passado por doping.

Segundo a imprensa russa, trata-se de Ilnur Zarakin, que venceu uma etapa na Volta a França deste ano, e Olga Zabelinskaya, ambos em estrada, bem como Serguéi Shilov, da formação de pista.

Os restantes 11 ciclistas russos cumprem com os requisitos estabelecidos a 24 de junho pelo COI, segundo a UCI.

Mais de 250 desportistas do país já receberam autorização para ir ao Brasil, segundo Alexandr Zhúkov, presidente do Comité Olímpico da Rússia (COR).

O dirigente revelou ainda que há vários competidores ainda à espera de receber a autorização para viajar para o Rio de Janeiro.

À partida da comitiva russa para o Brasil, Zhúkov disse que a equipa que lidera "é a mais limpa dos Jogos Olímpicos" e revelou que a lista definitiva de participantes será conhecida até 31 de julho.

Da lista original de 387 atletas incluídas na equipa olímpica, já caíram mais de 100 de diversos desportos.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC