sicnot

Perfil

Rio 2016

Empresa de segurança rompe contrato a uma semana do Rio 2016

A empresa Artel Recursos Humanos, contratada para prestar o serviço de revista nos locais de competição dos Jogos Olímpicos e na Aldeia Olímpica, no Rio de Janeiro, rescindiu o contrato.

Eram necessários mais de 3.000 agentes privados para o serviço, mas tinham sido contratados apenas 500, por a empresa não ter dinheiro para contratar pessoal.

A rescisão acontece numa altura em que várias delegações olímpicas já estão na cidade 'carioca' para o maior evento desportivo do mundo, que começa dentro de uma semana.

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, adiantou que a empresa "será multada e responsabilizada, por essa, não só, incompetência, mas por essa irresponsabilidade de cadastrar 3.000 pessoas e de apenas chamar 500, alegando dificuldades financeiras".

De acordo com o governante, que falava hoje no Rio de Janeiro, vão ficar responsáveis pelo serviço agentes da Força Nacional de Segurança, incluindo militares aposentados nos últimos cinco anos, que já estavam cadastrados.

"Os Jogos Olímpicos não sofrerão nenhum prejuízo, porque será uma substituição melhor, por policiais militares que se incorporarão à Força Nacional e realizarão, em conjunto, 100% da segurança dos locais olímpicos", frisou.

Alexandre de Moraes recordou que, inicialmente, a Força Nacional faria apenas a segurança em áreas externas, mas depois recebeu a atribuição de atuar dentro das áreas olímpicas, fazendo a segurança interna, e agora assume também as revistas.

O ministro sugeriu ainda ao Comité Olímpico que, nas próximas competições, reveja a necessidade de contratação de uma empresa privada para a segurança das arenas.

De acordo com o governante, nos últimos Jogos Olímpicos, em Londres, o mesmo problema foi detetado com 30 dias de antecedência e forças militares inglesas acabaram igualmente por assumir a função.

Os Jogos Olímpicos Rio2016 têm lugar de 05 a 21 de agosto e a segurança tem sido uma das maiores preocupações, não só devido ao crescente fenómeno de terrorismo no mundo, mas também à criminalidade violenta existente no Brasil.

Lusa

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Costa alerta para "condições particularmente adversas"
    1:47

    País

    O primeiro-ministro alertou para a possibilidade de novos incêndios de grandes dimensões, muito por causa da situação de seca que grande parte do território atravessa. António Costa pediu aos portugueses um "particular cuidado com todos os comportamentos de risco".

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Temperaturas vão baixar nos próximos dias
    1:05
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35