sicnot

Perfil

Rio 2016

ONU apela a uma trégua nos conflitos durante olimpíadas

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, apela a uma trégua olímpica em todo o mundo durante a celebração dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro.

"Apesar de esta visão parecer impossível, de tão ambiciosa, o espírito desportivo interpela-nos para estarmos à altura do desafio", disse, em comunicado, recordando que o ideal dos Jogos Olímpicos é transcender os limites do possível.

Neste sentido, Ban Ki-Moon apela "às partes beligerantes a empenharem-se para silenciar as armas nos campos de batalha da mesma forma que os desportistas o fazem para conquistar medalhas".

O responsável máximo das Nações Unidas sublinhou que uma pausa nos combates "evidenciaria os valores que os Jogos visam promover: o respeito, a amizade, a solidariedade e a igualdade".

Acentuando a circunstância de os Jogos se realizarem pela primeira vez na América Latina, Ban Ki-Moon defendeu a necessidade de fazer mais para responder às causas dos conflitos armados e das migrações forçadas de pessoas.

"Que a serenidade da Chama Olímpica silencie o som dos disparos", reclamou.

O Rio de Janeiro acolhe os Jogos Olímpicos de 5 a 21 de agosto e os Jogos Paralímpicos de 7 a 18 de setembro.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.