sicnot

Perfil

Rio 2016

Mais 3503 polícias nas ruas para reforçar segurança do Rio 2016

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro anunciou esta segunda-feira que acrescentará 3.503 polícias ao contingente inicialmente previsto para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos, que era de 10.414 agentes, o que representa um aumento de 33%.

A polícia militar suspendeu as férias, as licenças especiais e colocará nas ruas agentes que normalmente se dedicam a tarefas burocráticas, segundo informou o comandante geral daquela força, o coronel Edison Duarte, em conferência de imprensa.

Do novo contingente, 634 agentes reforçarão as esquadras que têm a tarefa de patrulhar as favelas que foram declaradas pacificadas, depois de terem sido expulsos das mesmas os grupos de narcotraficantes que as dominavam.

Com o reforço do número de polícias, a segurança dos Jogos Olímpicos Rio2016 implica a mobilização de 55.000 efetivos de diferentes corpos de segurança, incluindo 22.000 militares.

No entanto, apesar da 'militarização' do Rio de Janeiro, no passado fim de semana registaram-se assaltos a condutores de automóveis no túnel de Rebouças, uma das principais vias da 'cidade maravilhosa'.

Os Jogos Olímpicos Rio2016 realizam-se entre 05 e 21 de agosto.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.