sicnot

Perfil

Rio 2016

Os 29 atletas portugueses que vão participar nos Jogos Paralímpicos

Portugal vai ter no Rio de Janeiro a segunda comitiva mais pequena de sempre em Jogos Paralímpicos, mas estará representado em sete modalidades e estrear-se em duas: o judo e o tiro. Entretanto foi acrescentada uma vaga e a atleta Graça Fernandes vai competir em atletismo.

A lista dos 28 atletas paralímpicos portugueses que vão estar presentes nos Jogos Rio 2016 ficou completa hoje depois da Federação Portuguesa de Atletismo ter divulgado os nove representantes lusos nas competições de atletismo.

Em relação à última edição, Portugal perdeu dois atletas, descendo para 28, mas subiu de cinco para sete modalidades.

Naquela que será a nona presença consecutiva em Jogos Paralímpicos, Portugal leva na comitiva os quatro atletas que conquistaram medalhas há quatro anos: Lenine Cunha, Armando Costa, Luís Silva e José Carlos Macedo.

O atletismo foi a modalidade que perdeu mais representantes, descendo de 15 para nove atletas, mas apresenta cinco estreantes: Ana Filipe, Carolina Duarte, Cristiano Pereira, Hélder Mestre e Manuel Mendes.

Na lista figuram também Lenine Cunha, medalha de bronze no salto em comprimento em Londres 2012, Jorge Pina, Inês Fernandes, e o regressado Luís Gonçalves.

Há quatro anos, Luís Gonçalves falhou os Paralímpicos por estar a cumprir uma suspensão por doping, tendo ficado impedido de defender a medalha de prata conseguida nos 400 metros T12 (deficiência intelectual) em Pequim.

No boccia, Portugal subiu de nove para 10 representantes, entre os quais figuram os três que conseguiram medalhas em Londres: Armando Costa, José Carlos Macedo e Luís Silva.

Na última edição dos Jogos Paralímpicos, os três atletas conquistaram a medalha de prata na prova de pares BC3, e José Carlos Macedo alcançou o bronze na prova individual de BC3.

Na natação, Portugal continuará a ter quatro atletas, todos já com experiência em Jogos Paralímpicos: David Grachat, Joana Calado, Nélson Lopes e Simone Fragoso.

Joana Calado é a única que não marcou presença nos Jogos Londres2012, depois de se ter estreado em competições paralímpicas há oito anos, em Pequim, com apenas 16 anos.

No ciclismo, Portugal vai estar representado por Luís Costa e Telmo Pinão, enquanto Ana Mota Veiga será cavaleira lusa nas competições de equitação.

Nas modalidades nas quais Portugal se estreia, Adelino Rocha será o representante no tiro, e Miguel Vieira no judo.

Portugal vai apresentar nos Jogos Paralímpicos Rio2016, que decorrem de 7 a 18 de setembro, a segunda mais pequena comitva de sempre, depois da que representou o país nos Jogos Seul1988.

Na Coreia do Sul, Portugal esteve representado por apenas 13 atletas, nas modalidades de atletismo e boccia, que conquistaram um total de 14 medalhas.

- Atletismo: Ana Filipe, Carolina Duarte, Cristiano Pereira, Hélder Mestre, Inês Fernandes, Jorge Pina, Lenine Cunha, Luís Gonçalves, Manuel Mendes e Graça Fernandes.

- Boccia: António Marques, Abílio Valente, Cristina Gonçalves, Fernando Ferreira, Armando Costa, José Macedo, Luís Silva, Carla Oliveira, Domingos Vieira e Pedro da Clara.

- Ciclismo: Telmo Pinão e Luís Costa.

- Equitação: Ana Mota Veiga.

- Judo: Miguel Vieira.

- Natação: David Grachat, Joana Calado, Nélson Lopes e Simone Fragoso.

- Tiro: Adelino Rocha.

Com Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.