sicnot

Perfil

Rio 2016

Músico que transportava tocha olímpica foi imobilizado pela polícia após protesto

O músico Tarcisio Carlos Rodrigues Gomes foi esta quarta-feira imobilizado por agentes da Força Nacional quando realizou um protesto insólito ao conduzir a tocha olímpica num percurso na zona portuária do Rio de Janeiro.

O músico de 31 anos, com os calções em baixo, exibia as palavras "Fora, Temer" nas nádegas expostas por um biquíni cavado.

O protesto era contra o Presidente interino, Michel Temer, que a 12 de maio substituiu Dilma Rousseff, a Presidente com mandato suspenso e alvo de um processo de destituição que tramita no Senado brasileiro.

Amigos do músico aplaudiram-no e gritaram palavras de ordem contra o chefe de Estado interino.

"É uma forma de protestar contra a 'cidade do medo' que vivemos durante os Jogos Olímpicos. Estamos sufocados", disse o produtor cultural Diogo Rodrigues, amigo do portador da tocha, citado pelo jornal Estado de São Paulo.

Segundo o mesmo jornal, a organização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro informou que todos os portadores da tocha assinam um termo de compromisso e não podem fazer qualquer tipo de manifestação política, embora não estejam previstas sanções contra esse tipo de iniciativas.

Numa altura em que o país vive uma divisão política em torno do processo de afastamento de Dilma Rousseff, que será finalizado depois dos Jogos Olímpicos, a visibilidade internacional com a realização do maior evento desportivo do mundo na cidade 'carioca' tem sido usada para tentar passar mensagens políticas além-fronteiras.

Hoje de manhã, momento antes de a tocha olímpica passar em Duque de Caxias, um município do Estado do Rio de Janeiro, dezenas de funcionários da educação da rede municipal realizaram um protesto, interditando parcialmente uma avenida incluída no itinerário.

Em causa está o parcelamento de salário pago pela autarquia de Caxias e melhores condições na rede de ensino.

Segundo o diário Folha de São Paulo, para tentar abafar vaias ao discurso de Michel Temer na abertura dos Jogos Olímpicos, sexta-feira, a organização planeia aumentar o som de uma música ou do efeito sonoro de fundo no estádio Maracanã logo que o Presidente termine as suas palavras.

Os Jogos Olímpicos decorrem de sexta-feira a 21 de agosto, sendo a cerimónia de abertura um momento de destaque, também pela presença de dezenas de chefes de Estado de todo o mundo, incluindo o Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.